Pouco antes do 70º aniversário de fundação da República Popular da China, o novo Aeroporto de Pequim/Daxing (PKX) foi inaugurado nesta quarta-feira (25/09), com uma grande cerimônia que contou com a presença de autoridades do governo chinês.

O presidente chinês, Xi Jinping, compareceu à abertura, chegando ao imenso aeroporto pouco antes do meio dia, onde a imprensa, os dignitários e os representantes das companhias aéreas esperavam há mais de quatro horas.

Jinping assistiu a um breve resumo do projeto e construção do aeroporto, seguido de discursos cheios de elogios ao presidente. O líder chinês foi o último a falar, oferecendo um breve e formal batismo.

“Declaro aberto o Aeroporto Internacional de Pequim Daxing”, disse Xi Jinping.

Como publicado anteriormente, o voo inaugural do novo aeroporto foi realizado pela China Southern Airlines, com um Airbus A380.

A projeção é que daqui um ano o local já esteja operando voos para 112 destinos em todo o mundo e também na China. Por enquanto a alfândega e a imigração ainda não estão operacionais, seus estandes atualmente vazios e sem telas de computador. Os voos serão inicialmente domésticos.

As primeiras companhias que vão operar no local são aquelas filiadas à SkyTeam, uma aliança mundial. A migração das operações deverá ser realizada ao longo de vários dias, visto a complexidade de implementação dos sistemas, e de alocar vários passageiros em um voo terminal, algo que demanda um aviso prévio para os mesmos.

As companhias China Southern e China Eastern devem ser as primeiras que vão migrar suas operações para o novo terminal, acompanhadas de outras companhias da SkyTeam, como a KLM, Air France, Delta e Korean Air.

 

O novo Aeroporto de Pequim

Toda a construção foi iniciada do zero, em 2014, e as operações deverão ser iniciadas ainda em setembro deste ano. Todo esse tempo em meio ao país da mão de obra rápida e barata é devido ao tamanho do aeroporto, que será capaz de movimentar 100 milhões de passageiros por ano a partir de 2025.

Toda a arquitetura do terminal foi pensada para minimizar a distância percorrida pelo passageiro, e aumentar enormemente o conforto. O terminal de 700 mil m² é dividido em 5 píers, em uma configuração de estrela, o saguão principal se localiza no centro, permitindo também um grande hall de entrada.

O projeto apresenta oito pistas de pousos e decolagens, mas as operações serão iniciadas em setembro com apenas quatro. Isso mostra uma futura expansão do local para comportar ainda mais passageiros no mesmo sítio aeroportuário.

A primeira etapa, que vai perdurar até a inauguração do terminal, custou no total US$ 12 bilhões, mas futuros projetos de expansão, com a construção de pistas e mais taxiways, deve aumentar esse montante para US$ 17 bilhões.

A acessibilidade foi garantida através de uma linha de trem até o local, que se conecta com as linhas de ônibus, trem-bala e metrô, também há um edifício garagem que comporta veículos movidos a energia elétrica.

Debaixo do terminal há uma estação de trem e uma linha de metrô, que permitirão aos viajantes chegar ao centro da cidade em 20 minutos. 

Apesar de toda essa obra, o novo aeroporto já nasceu no limite da sua capacidade, o atual aeroporto de Pequim movimenta 95 milhões de passageiros, e parte desse tráfego de passageiros deve ser diretamente migrado para o terminal novo, que vai abrir com capacidade para 72 milhões de passageiros por ano.

As companhias da aliança SkyTeam já confirmaram que vão operar no aeroporto novo, enquanto as companhias da Star Alliance continuarão no atual terminal. As companhias da Oneworld planejam operar no Daxing Airport.

DEIXE UMA RESPOSTA