Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Boeing 737 MAX Flydubai
Foto - Boeing/Divulgação

Nesta última segunda-feira (29/04) o presidente da FlyDubai, o Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, concedeu uma entrevista, onde alertou a Boeing sobre um possível cancelamento de encomendas do 737 MAX.

A companhia já opera com o 737 MAX, principalmente nas suas rotas quem complementam outros voos da Emirates, através de um acordo de codeshare, mas de acordo com o Sheik, se a paralisação da frota se estender muito, a companhia pode optar por encomendar aeronaves do modelo A320neo.

Ao mesmo tempo Ahmed Bin solicita que a Boeing melhore a comunicação com seus clientes, apontando uma clara insatisfação com a empresa note-americana.

O Sheikh Ahmed disse que é preciso saber mais sobre essas soluções de software da Boeing, e quanto tempo durará o período de paralisação das aeronaves.

Toda essa situação coloca ainda mais pressão na Boeing, que corre para certificar um novo software para o sistema de controle de voo da aeronave. A empresa ainda não submeteu o pacote de atualizações para a FAA, apontando um claro atraso no desenvolvimento da solução, que começou a ser projetada em novembro de 2018.

A Flydubai precisou parar as operações com seus 14 jatos 737 MAX, que respondem por cerca de 10% de sua frota, e cancelar até 15 voos por dia. A companhia opera somente com aviões do modelo 737, e tem 250 encomendas para o 737 MAX, sendo a 2ª maior cliente da nova aeronave da Boeing.

“Isso me deu a opção de falar com a Airbus”, disse o Sheik Ahmed bin Saeed al-Maktoum para repórteres na exposição Arabian Travel Market, em Dubai.

“Estamos focados em ganhar sua confiança e apoiar todos os nossos clientes em todo o mundo de todas as maneiras possíveis para garantir a total confiança no 737 MAX, e um retorno seguro das operações comerciais”, disse uma porta-voz da Boeing.

Enquanto a companhia fica em dúvida sobre o 737 MAX, Ahmed afirmou que a FlyDubai vai buscar uma indenização devido aos voos cancelados e ao limite de crescimento imposto na companhia, devido a um erro da Boeing.

DEIXE UMA RESPOSTA