Programa CRJ entra nos últimos dias da sua existência

Bombardier CRJ

A linha CRJ, inicialmente de projeto conduzido pela Bombardier, o avião fez sucesso no mercado com suas diversas variantes, vendendo quase 2000 unidades ao longo de vários anos.

No entanto, a nova geração de aeronaves chegou, e o projeto CRJ (Canadair Regional Jet) ficou defasado em comparação com outras aeronaves. Como resultado nos últimos anos o CRJ ganhou pouquíssimas encomendas, e o projeto culminou na venda de toda a estrutura, menos a produção, da Bombardier para a Mitsubishi.

A aeronave de número 1945, um CRJ900, já está pronta e será entregue nas próximas semanas para a Endeavor Airlines, operando nas cores da Delta Connect. Este será o último CRJ fabricado pela Bombardier, que ficou responsável pela linha de produção.

Depois desse avião a produção será encerrada, e não será possível encomendar uma aeronave deste modelo. A Bombardier, no passado, optou por não criar uma versão do CRJ com novos motores, assim como a Embraer fez com os E-Jets.

O programa foi vendido para a Mitsubishi recentemente, após esgotar todas as tentativas da Bombardier de vender unidades do CRJ.

Todo o acordo levou ao pagamento de US$750 milhões por parte da Mitsubishi à Bombardier, incluindo as dívidas do programa CRJ que serão assumidas pela fabricante japonesa.

A Mitsubishi Aircraft, agora em uma crise que paralisou até a sua nova aposta, o MRJ, espera através desse programa conseguir um maior número de pontos de suporte para sua nova aeronave, que pode atrasar ainda mais para “sair do papel”.


Este avião regional continuará existindo no futuro, mas apenas com a opção de comprar aeronaves usadas e suporte fornecido pela Mitsubishi, que não é a fabricante original da aeronave.

 

DEIXE UMA RESPOSTA