A Qatar Airways se viu obrigada a aterrar 16 unidades do Airbus A350 após detectar rachaduras ocasionadas por deterioração da pintura. A companhia também relatou que algumas aeronaves tiveram a sua proteção contra raios também danificada. 

Segundo a Bloomberg , o CEO da Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse que a “deterioração está afetando somente as áreas onde possuem estresse aerodinâmico”, descartando a possibilidade de deterioração em áreas metálicas, problema que não afeta a segurança de voo do Airbus A350.

Curiosamente, não é a primeira vez que o executivo questiona o trabalho da Airbus acerca da pintura envolvendo o A350. Em junho deste ano, a Qatar decidiu interromper as entregas do modelo por conta do mesmo problema

Na época, a companhia que é uma das principais clientes do programa A350XWB questionou o controle de qualidade da Airbus, especificamente sobre o seu método de pintura, alegando que o problema estaria causando atrasos. Já a Airbus, disse que a Qatar estava usando o motivo para postergar as entregas do A350 de forma estratégica para cortar gastos ao não manter as aeronaves estocadas por conta própria.  

Diante o descontentamento por parte da Qatar com a Airbus, a companhia ainda está avaliando se irá adquirir a versão cargueira do A350, momento em que avaliará também uma possível oferta da Boeing.

DEIXE UMA RESPOSTA