Red Bull utiliza Ilyushin dos cosmonautas para fazer Pit Stop sem gravidade

Foto - Red Bull

A Red Bull Racing Team, a equipe da Red Bull na F1, é atualmente a detentora do pit stop mais rápido da competição, foram 1,82 segundo para trocar os quatro pneus de Max Verstappen no GP do Brasil de F1.

O bom desempenho da equipe nos pit stops é bastante notável, e eles criaram um desafio ainda mais difícil, substituir esses pneus e rodas durante um voo de gravidade zero.

A companhia aérea contratou um avião Ilyushin IL-76 MDK que faz esse tipo de serviço de gravidade zero, e contou com um carro muito inferior nesta missão, o RB1 de 2005.

A equipe tinha cerca de 25 a 28 segundos para fazer o pit stop, que contou com algumas adaptações para ser realizado em gravidade zero, como ter um mecânico para segurar o carro na posição, ao invés de levantar o carro com um “macaco”,

E os mecânicos conseguiram concluir o procedimento em cerca de 20 segundos, sem gravidade, e a 33000 pés.

Considerando as cenas, o vídeo é uma belíssima obra de marketing. Confira abaixo:

 

Modificações do Ilyushin


Foto – Red Bull

O Ilyushin IL-76MDK, matrícula RF-75353, é utilizado pela Agência Espacial e Estatal Roscosmos para o treinamento de cosmonautas, para que eles possam ter uma mínima experiência com gravidade zero e suas “complicações” na vida dos acostumados ao 9,8 m/s² constante da gravidade terrestre.

Para fazer esses voos, onde o avião precisa cumprir parábolas para criar esse efeito de gravidade zero, a aeronave deve receber reforços e sistemas redundantes, como alterações no sistema hidráulico e de combustível, criando tanques reservas e adicionando mais bombas.

A Red Bull ainda precisou alterar o interior para colocar o equipamento de gravação, uma iluminação de decoração, locais para prender os mecânicos e até mesmo o trilho para prender o carro.

Abaixo um pouco mais do making of:

Como dito acima, o avião faz as parábolas, em um efeito de gravidade zero que dura aproximadamente 28 segundos, chegando a 33000 pés. O limite é de 20 parábolas por voo, e a Red Bull teve somente esse tempo para treinar os astronautas e filmar, em sete voos no total.

 

RB1 de 2005 ajudou

As equipes de Fórmula 1 costumam guardar seus carros para exposição após cada temporada, na Red Bull não é diferente.

Os carros de F1 foram crescendo ao longo dos anos, com destaque para os veículos das temporadas após 2009. O RB1 é tido com um dos menores da coleção, e o que permitia os mecânicos de ficar na lateral do carro dentro do apertado Ilyushin.

Provavelmente a equipe também retirou o conjunto de motor e câmbio do carro, para diminuir o peso e evitar acidentes a bordo.

DEIXE UMA RESPOSTA