Reino Unido proíbe voos de passageiros que saem do Brasil

Foto - Stuart Bailey/British Airways

Os voos que partem do Brasil para o Reino Unido foram proibidos pelo governo local, após alguns casos de infecção de passageiros com uma nova cepa do Coronavírus identificada em Manaus.

Os esforços para proibir voos entre os países foram desenvolvidos pelo Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido e Yvette Cooper, Ministra do Trabalho.

A nova cepa da Covid-19 identificada em Manaus pode ser ainda mais transmissível em comparações com as novas cepas identificadas na África do Sul e no Reino Unido, que eram 70% mais transmissíveis em comparação com o vírus que então estava em circulação.

O Brasil, por sua vez, já proibiu a entrada de viajantes a partir do Reino Unido, quando a nova cepa começou a se espalhar por lá no final de 2020. Como resultado, os voos entre os dois países estão suspensos desde dezembro.

Cooper perguntou por que o governo do Reino Unido não proibiu a entrada de pessoas a partir do Brasil, dados os riscos da nova variante da doença identificada.

“Você foi avisado sobre a variante Brasil há três dias. Não sabemos, ainda, se essa variante pode prejudicar o programa de vacinação. Por que você não está tomando medidas imediatas, por precaução?”, Cooper perguntou.

O primeiro-ministro respondeu: “Nós estamos: estamos implementando medidas extras para garantir que as pessoas que vêm do Brasil sejam verificadas: e, de fato, impedindo as pessoas que vêm do Brasil”.


Os ministros estão considerando interromper voos de países vizinhos como uma precaução, para evitar que viajantes do Brasil cheguem indiretamente, fazendo escalas em outros países.

“Estamos tomando medidas para impedir a variante do Brasil, assim como tomamos medidas para impedir que a variante sul-africana seja importada para este país, como de fato os franceses tomaram medidas para evitar que a variante Kent fosse importada para a França: é o que os países fazem”, disse Boris Johnson.

A decisão final, proibindo voos a partir do Brasil, Panamá e até mesmo destinos europeus, como Lisboa, saiu na tarde desta quarta-feira (14). São 15 países afetados por essa decisão.

 

DEIXE UMA RESPOSTA