• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

Relatório aponta que faltavam quatro parafusos no Boeing 737 Max da Alaska Airlines

​NTSB investigators examine the door plug from Alaska Airlines flight 1282, a Boeing 737-9 MAX.​ Imagem: ​NTSB.
​NTSB investigators examine the door plug from Alaska Airlines flight 1282, a Boeing 737-9 MAX.​ Imagem: ​NTSB.

O Boeing 737 Max 9 da Alaska Airlines, que teve problemas durante o voo em um incidente recente, tinha quatro parafusos faltando, de acordo com um relatório preliminar divulgado ontem, 6 de janeiro, pela agência norte-americana responsável pela segurança dos transportes (NTSB).

Em 5 de janeiro, uma das portas de emergência auxiliar se soltou durante um voo operado pela Alaska Airlines, que fazia a ligação entre Portland (Oregon) e Ontário (Califórnia). Na sequência do evento, a FAA suspendeu imediatamente a operação de 171 aeronaves Boeing 737 MAX 9.

Conforme o relatório: “Estavam faltando e não foram recuperados dois parafusos supressores de movimento vertical, dois parafusos da guia superior, localizados no encaixe da guia da dobradiça inferior dianteira e mola auxiliar de elevação dianteira.”

Figura 8 do Relatório da NTSB. Overall view of the MED plug and associated components removed from the accident airplane as received at the NTSB Materials Laboratory.

Figura 8 do Relatório da NTSB. Overall view of the MED plug and associated components removed from the accident airplane as received at the NTSB Materials Laboratory.

O painel não tinha quatro parafusos instalados porque aparentemente não tinham sido substituídos na fábrica da Boeing em Renton, no Estado de Washington, concluiu a agência federal, encarregada de investigar acidentes de transporte. É importante ressaltar que o relatório é preliminar e está sujeito a alterações, conforme ressaltado pela NTSB. 

O que disse a Boeing?

Depois da divulgação do relatório preliminar, a Boeing emitiu o seguinte parecer: 

“A Boeing aprecia os EUA. O trabalho do Conselho Nacional de Segurança do Transporte e revisará suas descobertas rapidamente. E continuaremos a cooperar de forma total e transparente com as investigações do NTSB e da FAA.

O presidente e CEO da Boeing, Dave Calhoun, disse: “Independentemente das conclusões finais alcançadas, a Boeing é responsável pelo que aconteceu. Um evento como esse não deve acontecer em um avião que sai da nossa fábrica. Nós simplesmente devemos fazer melhor por nossos clientes e seus passageiros. Estamos implementando um plano abrangente para fortalecer a qualidade e a confiança de nossas partes interessadas. Será preciso uma ação significativa com demonstrada transparência a cada passo – e é aí que estamos diretamente focados.”

Igualmente, a empresa informou que está abrindo a fábrica para que os clientes possam realizar suas próprias revisões adicionais. Informou, ainda, que apoiará de forma total e transparente as ações de investigação, auditoria e supervisão da FAA.

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.