Rússia Ilyushin Il-96
Foto: Ilyushin

Diante das sanções impostas desde o início da invasão russa no território ucraniano, o governo da Rússia já trabalha nas alternativas para contornar uma possível falta de aeronaves, bem como a reposição de peças.

Para isso, a Rússia deverá acelerar o desenvolvimento do Irkut MC-21, aeronave de fuselagem estreita com tecnologia totalmente russa para se afastar da dependência ocidental.

MC-21-300
MC-21 se torna a grande aposta dos russos para driblar a dependência do ocidente na aviação Foto: Irkut

Neste sentido, outras aeronaves com a produção já encerrada ou entregues em menor escala também estão na mira de um possível ‘renascimento’, é o caso do widebody Ilyushin Il-96, Tupolev Tu-204 e Tu-214, sem excluir o programa do Sukhoi Superjet 100.

O Il-96 poderá ter a sua produção em maior escala

Apesar do otimismo com a retomada na produção das aeronaves russas, o vice-primeiro-ministro da Rússia, Yuri Borisov, reconhece que acelerar o desenvolvimento do MC-21 será um grande desafio, principalmente pelo fato do projeto inicial pretendia ter uma maior cooperação internacional, algo que não aconteceu como planejado.

Antes mesmo das sanções aplicadas em decorrência da guerra na Ucrânia, o desenvolvimento do MC-21 passou por embargos dos Estados Unidos a respeito do uso de peças ocidentais nos aviônicos, bem como o uso dos motores CFM Leap, obrigando o desenvolvimento do motor russo PD-14 exclusivamente para o MC-21.

Agora, com a expectativa da primeira entrega do MC-21 para setembro deste ano, provavelmente a Rússia ficará ainda mais distante das tecnologias ocidentais, se aproximando de países aliados como a China para contornar as sanções vigentes.

Com informações: Flight Global