Foto: Singapore Airlines

A Singapore e a Qantas ganharam destaque nesta semana ao anunciarem a retomada de voos comerciais com o Airbus A380. As duas empresas estocaram as suas aeronaves durante a pandemia, e não tinham uma programação tão rápida de retorno dos aviões para os voos comerciais.

A Qantas, por exemplo, chegou a estocar os seus aviões Airbus A380 nos Estados Unidos, com previsão para o retorno dos voos somente em 2023. O clima de deserto de Victorville e outros aeroportos da parte oeste dos EUA colabora com a estocagem de longo prazo das aeronaves, e não permite que os componentes se deteriorem facilmente devido ao fator climático.

Suíte do Airbus A380 da Singapore Airlines é um luxo completo para poucos que podem pagar.

Com 17 aviões Airbus A380 na frota, a Singapore Airlines é a primeira que retomará os voos com a aeronave. Em novembro a aeronave será utilizada entre Cingapura e Londres em voos para transporte de vacinas e em algumas semanas com passageiros a bordo.

A partir de 18 de novembro, a aeronave vai partir de Cingapura (Changi) para operar o voo SQ322 às 23h35. O avião retornará de Heathrow na manhã seguinte para cumprindo o voo SQ317 às 10h55.

A Qantas, por sua vez, tem 12 aviões Airbus A380 na sua frota. Como citado anteriormente, todos estão em condição de estocagem de longo prazo nos Estados Unidos.

Airbus A380

A companhia australiana planeja retomar os voos com o A380 em abril, e os aviões serão retirados da estocagem nos EUA até o final deste ano. 

Diferente da Singapore, onde o superjumbo volta como cargueiro, na Qantas a aeronave substitui o Boeing 787 em voos para a Europa e Estados Unidos transportando passageiros.

A companhia estava prevendo uma despesa de quase US$ 600 milhões apenas para manter seus aviões de grande porte em solo até 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA