A Guerra Fria foi um momento de muitas disputas entre países, para provar a superioridade tecnológica, assim como os europeus decidiram lançar o Concorde, que não teve mais de 20 unidades fabricadas, a URSS também optou por lançar um avião comercial supersônico.

Enquanto se gabava de ter um avião maior, mais potente e que foi lançado antes, a URSS era tão isolada que o uso do Tupolev Tu-144 se limitou à estatal Aeroflot, pelo menos ao fim do regime a Rússia continuou cuidando das unidades sobressalentes, e armazenando as mesmas em museus.

Querendo ou não, o Tupolev Tu-144 é um retrato daquele momento da União Soviética, onde a tecnologia e a capacidade industrial avançavam aos largos passos, algo bem minimizado atualmente.

E recentemente, para ressaltar todo esse “poder do país”, o Governo Russo decidiu colocar um Tupolev Tu-144 em exposição no entrocamento de uma rodovia, ao lado da Rua Tupolev, em Zhukovsky, perto de Moscou.

Toda essa movimentação é para o evento MAKS 2019, dedicado ao mercado de aviação, e que ocorrerá entre os dias 27 de agosto a 1º de setembro em Zhukovsky. O avião estará aberto para exposição no dia 17 de agosto.

A UAC, atualmente o conglomerado que detém a marca Tupolev, postou nas suas redes sociais imagens do deslocamento do jato supersônico pela rodovia, algo demorou cerca de 4 horas e que exigiu o desmonte das asas do avião, para possibilitar a passagem pelos locais.

Antes esse Tu-144 estava no Instituto de Pesquisa Grumov, visto que o jato foi utilizado antes como laboratório de desenvolvimento. A aeronave foi restaurada, recebeu as cores históricas da Aeroflot, e os técnicos do local retiraram do interior todos os equipamentos e instrumentos, aliviando o peso da fuselagem. Curiosamente os motores NK-14 continuam no avião.