EasyJet Airbus A319
Foto: Javier Bravo Muñoz / Wikimedia

A easyJet foi a escolhida pela Comissão Europeia (CE) para receber os 18 slots que a TAP precisou repassar para outra companhia, como parte do seu Plano de Reestruturação, onde recebeu empréstimos estatais durante a pandemia.

A companhia inglesa de baixo custo concorria com a Ryanair pelos slots no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, e pelos requisitos da comissão a easyJet foi escolhida.

Anteriormente a EasyJet reiterou que irá basear mais aeronaves no Aeroporto além de contratar mais 100 funcionários caso seja a vencedora do leilão.

“A Comissão Europeia classificou a easyJet em primeiro lugar entre as companhias aéreas que se candidataram à atribuição da carteira com um máximo de 18 faixas horárias diárias no Aeroporto de Lisboa”, disse o comunicado oficial da CE. Agora, a easyJet poderá oferecer mais 18 voos diários no Aeroporto Humberto Delgado a partir de 30 de outubro.

Em seu processo de reestruturação a TAP concordou em se desfazer de diversas empresas do grupo, incluindo a sua subsidiária Portugalia, sua empresa de handling (Groundforce) e  empresa de manutenção no Brasil TAP M&E (antiga Varig Engenharia e Manutenção). A companhia também concordou em devolver 5% dos seus slots, como citamos anteriormente.

O processo de reestruturação da companhia portuguesa foi iniciado em 2020, poucos meses após iniciar a pandemia, quando a empresa deixou de operar diversos voos em razão das restrições além dos problemas financeiros recorrentes dos últimos anos.