O primeiro Airbus A380 de série está sendo desmontado nas instalações da Tarmac Aerospace, empresa que cedeu o espaço para a estocagem dessas aeronaves após a Singapore Airlines devolver os aviões para a empresa de leasing.

O primeiro voo dessa aeronave transportando passageiros foi no dia 25 de outubro de 2007, na ocasião a Singapore foi responsável pelo lançamento da aeronave no mercado de aviação.

Anteriormente a Singapore disse que não iria assinar um novo contrato de leasing do seu primeiro Airbus A380, de matrícula 9V-SKA, após a expiração do contrato em outubro de 2017, o contrato atual tem duração de 10 anos e a SIA poderia assinar outro acordo após o vencimento do atual, prolongando por mais alguns anos o uso da aeronave em regime de leasing.

A Dr. Peters costumava receber US$ 1,7 milhão por mês pelo aluguel do A380, os motores da Rolls-Royce foram comprados cada um por US$ 480.000, mas a estocagem custa US$ 94.000 por mês, um valor bem elevado. Os motores continuarão alugados, rendendo US$ 480 mil por mês, no final de 2020 a parte de propulsão será vendida.

A proprietária da aeronave exigiu a entrega da mesma pela Singapore Airlines com uma revisão completa, além de uma pintura totalmente branca. Então boa parte das peças são novas e tem vários ciclos possíveis de uso.

Nessa devolução de cinco aviões A380 da Singapore, a Hi-Fly se interessou por operar com duas unidades usadas, e arrendou os aviões, desta forma sobraram apenas três aeronaves estocadas, incluindo este primeiro A380 entregue para uma companhia aérea.

Airbus A380 no local de estocagem.

Em uma primeira etapa da desmontagem, os fluidos potencialmente remanescentes na aeronave são drenados.

Então os trabalhadores começam a desparafusar todas as partes móveis. Janelas, assentos, peças de chassi, flaps – tudo que ainda pode ser vendido.

Na segunda etapa, todas as peças são limpas, verificadas quanto à sua funcionalidade e, em seguida, registradas, embaladas e armazenadas.

Na terceira etapa, a Tarmac Aerosave começa a desmontar a fuselagem por meio de EDM. Uma parte do material é descartada, outra pode ser reutilizada. Isso inclui o alumínio, que retorna ao ciclo econômico.

A Tarmac Aerosave estima que 92% do peso de um A380 pode ser reciclado. Mesmo vendendo quase toda a aeronave, o investimento da Dr. Peters no A380 foi recompensado no final, com retorno de lucro para a empresa.