Avaliadas entre US$ 1,6 bilhão e US$ 2 bilhões, a Marinha do Brasil obteve a aprovação do TCU (Tribunal de Contas da União) a compra de quatro corvetas lançadoras de mísseis, que serão produzidas com base em tecnologia internacional e brasileira.

As corvetas serão montadas pelo consórcio Águas Azuis, formado pelas empresas Thyssen, da Alemanha, e Embraer, do Brasil.

A construção será realizada no estaleiro Oceana, em Santa Catarina, com entregas a partir de 2025 (provavelmente). A Embraer afirma que a construção das Corvetas apoia cerca de 2 mil empregos diretos.

A MB espera assinar o contrato com o Consórcio em 2020.

 

DEIXE UMA RESPOSTA