A Thai Airways retirou recentemente do armazenamento os seus últimos seis aviões do modelo Airbus A340-600, que foram aposentados há cinco anos e desde então estavam no Aeroporto U-Tapao, há 147 km de Bangkok.

A companhia não planeja vender esses aviões, eles serão utilizados na própria frota da empresa, que passa por uma complicada crise financeira e administrativa, sem conseguir aprovar uma nova compra de aeronaves.

Originalmente, a Thai planejava operar o A340-600 na década que inicia em 2020. No entanto, isso foi alterado em 2015, pois estavam programados para aposentadoria e depois venda. Aparentemente, encontrar um comprador para o quadrimotor não foi tão fácil.

  • A aeronave precisa de seu interior atualizado para que o Thai Airways tenha chance de gerar lucro com o avião. Essa parte será realizada pela empresa.
  • Os A340-600 da Thai estão em sua “configuração original”: assentos com pouco espaço e sem acesso direto ao corredor na classe executiva, um padrão bem antigo de conforto a bordo, sem similaridade com outros aviões da frota, como o A380 e o A350.
  • A mudança do interior da aeronave pode demorar mais de um ano. Isso ocorre por causa de compra e fabricação dos assentos, finalmente seguidas de instalação, tudo a um custo alto.

Além de toda essa alteração no interior, devido ao tempo que esses aviões ficaram parados eles precisam de uma revisão completa dos componentes, e talvez até a substituição de alguns após cinco anos dessas aeronaves fora de uso.

Podemos analisar também o consumo de combustível até 20% maior do A350-600 em comparação com o A350-900. Em compensação, esses ainda são aviões novos, com menos de 10 anos de uso.