A gigante de leasing GECAS, subsidiária de leasing de aeronaves da General Electric, encomendou 25 aeronaves Airbus, incluindo uma rara compra de jatos movidos pela fabricante de motores rival da GE, a Rolls-Royce.

O pedido inclui 12 jatos Airbus A330neo, para os quais a Rolls-Royce é o único fornecedor de motores, e 13 jatos de fuselagem estreita de longa distância A321XLR. Ele foi incluído em um novo registro de pedido da Airbus, mas o nome do comprador não foi divulgado imediatamente.

A Airbus e GE não quiseram comentar.

Se confirmada, a decisão da segunda maior empresa de leasing de aeronaves do mundo de investir no A330neo seria um endosso importante para o programa A330neo, que vem se recuperando de um período de vendas fracas e alguns cancelamentos.

Tradicionalmente, a GECAS prioriza aeronaves movidas a motores fabricados por sua empresa controladora, General Electric.

As decisões de investir em tecnologia rival destacam a concorrência para diversificar as carteiras no setor de leasing, embora a GE seja percebida como mais estreitamente alinhada no mercado de grandes empresas com a rival da Airbus, a Boeing.

O A330neo é uma atualização de 250 a 300 assentos da aeronave de fuselagem larga mais vendida da Airbus, o A330, oferecido juntamente com a família Airbus A350, um pouco maior. Ambas as aeronaves são movidas exclusivamente por motores da Rolls-Royce.


Em 2015, a GECAS investiu no primeiro A350 comprando a aeronave imediatamente após sua entrega à Qatar Airways e depois alugando-a de volta à companhia aérea em um acordo de venda e leaseback.

Mas continua sendo raro a subsidiária da GE comprar aeronaves movidas por motores Rolls-Royce diretamente do fabricante.

A Rolls Royce e a GE competem ferozmente pelas vendas de motores, e o A330neo enfrentou intensa concorrência do Boeing 787, que oferece motores GE e Rolls-Royce.

A GECAS é amplamente vista como uma candidata a uma possível venda, pois a GE revisa seu balanço patrimonial por meio de alienações. Ele afirmou que pretende investir em aeronaves para reduzir a idade média de seu portfólio para 5,5 anos, de 6,8 para 2024.

Em um comunicado com sua atualização mensal de pedidos na quinta-feira, a Airbus disse que “um cliente não identificado encomendou 13 A321XLRs em uma transação que também incluiu 12 eficientes A330-900”.

É comum que ofertas de aeronaves sejam publicadas de forma anônima antes que o comprador abra o capital, geralmente usando a publicidade ao redor dos shows aéreos.

Os fabricantes estão se preparando para o Dubai Airshow a partir de 17 de novembro, o que poderá confirmar a demanda de empresas de leasing, incluindo a GECAS, disseram fontes do setor.

 

Fonte – Reuters