F-15E Strike Eagle. Foto: U.S. Air Force

A USAF está planejando adquirir mais caças F-15 fabricados pela Boeing, reforçando seu inventário com uma versão atualizada do avião.

Juntamente com esse novo lote de F-15 atualizados a USAF também irá adquirir mais unidade do caça furtivo F-35A Lightning II da Lockheed Martin.

O novo F-15X para os EUA seria uma variação dos aviões vendidos para o Catar, mas seria capaz de transportar cargas mais pesadas de armas ar-terra e ar-ar, em comparação com os atuais F-15.

 

Mísseis Hipersônicos e orçamento

F-35A Lightning II da USAF.

Apesar do F-35 ser altamente tecnológico, a sua baía interna de armamento fica limitada para acomodar armas pesadas, como mísseis hipersônicos que estão agora em desenvolvimento. 

Por outro lado, o F-15X não teria esse problema, apesar do F-15X ser mais avançado que versões anteriores, de modo tecnológico não tem os mesmos avanços tecnológicos do F-35, incluindo seu perfil furtivo para escapar dos mais avançados sistemas de defesa aérea russos e chineses, bem como seus sofisticados sensores e recursos de compartilhamento de dados.

A Boeing informou em comunicado que está “pronta para fornecer uma variante avançada do F-15 altamente resistente à Força Aérea por um custo acessível”. Um porta-voz da Força Aérea se recusou a comentar a proposta até que o orçamento proposto pelo presidente seja liberado.

A Boeing, de Chicago, ofereceu a aeronave, incluindo motores, por cerca de US$ 80 milhões por avião sob um contrato de preço fixo, com as primeiras entregas para 2022.  


Em comparação, estima-se que o F-35 da Lockheed custou cerca de US$ 89 milhões cada no último contrato, sem considerar os motores fornecidos pela Pratt & Whitney.