LATAM

Em resposta a um ofício enviado pelo SNA, no qual foram requeridas informações sobre a vacinação contra a covid-19 de pilotos e comissários de voo, elencados no PNO (Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação) como grupo prioritário, o Ministério da Saúde apresentou alguns posicionamentos —sem, contudo, confirmar o início de fato da vacinação da categoria.

Veja abaixo a íntegra da resposta do Ministério da Saúde para os questionamentos:

  • Informe qual seria a previsão, no calendário de vacinação contra o COVID19, para imunização dos aeronautas.

Resposta do MS:
Conforme o PNO os aeronautas estão elencados como prioritários e devem aguardar o chamamento oficial do Ministério da Saúde (MS), por não haver, por parte dos fornecedores, cronograma regular de entrega de doses das vacinas COVID-19, o Ministério da Saúde fica impossibilitado de definir as datas do início da vacinação.

 

  • Informe qual seria o comprovante da condição de aeronauta, que precisará ser apresentado para vacinação, se seria o CHT Digital (Certificado de Habilitação Técnica Digital) expedido pela ANAC. *Não existe documento físico.

Resposta do MS:
Nessa estratégia será solicitado documento que comprove a situação de trabalhador empregado de companhias aéreas nacionais, e aos demais o devido credenciamento aeroportuário válido, conforme o Decreto 7.168/2010 e RBAC 107 da ANAC.

 

  • Informe se os aeronautas poderão tomar a vacina somente no município de domicílio ou outros e se haverá alguma campanha específica de vacinação nos principais aeroportos do país.

Resposta do MS:
O aeronauta poderá tomar a vacina no Município onde está no momento da convocação. Quanto a estratégia de vacinação nos principais aeroportos do país compete a organização dos Estados e Municípios.

 

  • Informe as medidas tomadas para inclusão da vacina contra COVID-19 no Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), já que alguns países farão essa exigência, em breve, para entrada de tripulantes brasileiros (se será seguido o protocolo da Febre Amarela).

Resposta do MS:
No momento não há informações oficiais da Agência ANVISA ou da Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto ao Certificado Internacional de Vacinação. A profilaxia é a própria vacina COVID-19, sendo que no momento o objetivo principal é de diminuir as internações e casos graves da doença, com estudos em curso sobre a efetividade quanto a possível proteção contra a infecção causada pelo SARs-CoV-2.

O SNA disse que continua entrando em contato autoridades em todos os níveis, federal, estadual e municipal, para cobrar o início da vacinação dos tripulantes.

 

 

Via: Sindicato Nacional dos Aeronautas