A SpaceX já está quase pronta para lançar a primeira cápsula para tripulantes em seu foguete Falcon 9, trata-se da Dragon Crew V2, uma versão alterada para atender aos requisitos da NASA, de transportar astronautas até a Estação Espacial Internacional (ISS).

A Dragon Crew tem a mesma base da cápsula cargueira, que já realizou mais de 13 voos para a ISS, apesar disso tem um visual diferente no exterior, já que abriga um conjunto de retrofoguetes SuperDraco, nesse caso utilizados apenas para um caso de emergência.

De acordo com uma publicação do Elon Musk no Twitter, a cápsula está passando por um teste em câmara anecóica, com finalidade de aferir os impactos de uma interferência eletromagnética. O próximo passo é colocar a cápsula em uma câmara de vácuo, efeito comum no espaço onde não há pressão atmosférica.

A câmara anecóica também simula o ambiente do espaço, e permite fazer ataques controlados de energia eletromagnética, e assim avaliar se os sistemas elétricos são afetados.

O projeto da Dragon Crew foi alterado nos últimos anos, dispensando o uso dos retrofoguetes para o pouso (assim como o Foguete Falcon 9), e diminuindo o nível de automação da cápsula, que agora é capaz de receber comandos dos astronautas. As alterações foram realizadas para facilitar a certificação, que será realizada antes da nova cápsula da Boeing.

Junto com essa novidade está uma vestimenta especial, projetada para os astronautas que vão embarcar nessa cápsula. Veja na foto abaixo.

O traje é uma parte importante do voo, ele é o responsável por manter um backup de emergência para os sistemas de suporte de vida redundantes da nave espacial, se a cápsula despressurizar e o astronauta estiver sem a roupa especial, a chance de morrer é muito grande.


A automatização ainda está presente, e um conjunto de sensores mantém a temperatura sempre entre 18º a 26º Celsius de temperatura.

O lançamento da Dragon Crew para a ISS será sempre realizado com os foguetes Falcon 9. A cápsula Dragon para tripulantes só foi testada duas vezes em voo espacial até então, uma em 2010 e outra em 2014, um terceiro teste deve ser realizado para fazer a validação final dos sistemas em 2018.