TU-95MS- Foto Beriev

O Ministério da Defesa da Rússia divulgou um vídeo em que mostra a visão privilegiada a partir do cockpit em uma das aeronaves mais emblemáticas produzidas durante a União Soviética e utilizada durante a guerra fria: trata-se do Tupolev Tu-95MS.

No vídeo, os bombardeiros de longo alcance realizaram um voo programado sobre as águas neutras dos mares de Chukchi, Bering e Okhotsk, localizados no extremo norte do Oceano Pacífico e no Oceano Ártico. É possível notar também que o veterano bombardeiro é escoltado por caças Su-35S da Força Aérea Russa durante o voo que durou mais de nove horas.

Em comunicado do Ministério da Defesa da Rússia, os Tupolev Tu-95MS estão realizando regularmente exercícios militares sobre as águas neutras do Ártico, Atlântico Norte, Oceano Báltico, Mar Negro e no Oceano Pacífico, todos os voos estão em cumprimento das regras internacionais de uso do espaço aéreo.

Curiosamente, podem acontecer desses sobrevoos se “encontrarem” com aeronaves norte-americanas ou da OTAN, logo tem se tornado comum as interceptações entre aeronaves ocidentais e soviéticas.

Tupolev Tu-95

Tu-95MSM- Foto: Prnti de vídeo do You Tube

Desenvolvido durante a União Soviética e amplamente utilizado durante a Guerra Fria, o Tupolev Tu-95 é considerado como o bombardeiro de maior sucesso já produzido pela indústria aeronáutica soviética.

Com mais de 500 unidades produzidas, o Tu-95 foi desenvolvido durante a década de 1950 pela União Sovíetica que tinha o desafio criar um bombardeiro com ampla autonomia e alcance ao utilizar quatro turboélices Kuneztsov NK-12M, sendo os motores o maior desafio para a conclusão do projeto.

Tal ambição soviética fez com que a aeronave tivesse uma autonomia com mais de 13.000 quilômetros voando a uma velocidade 0.65 Mach (cerca de 800 km/h) em uma altitude de até 10.000 metros.

Apesar de ter sido desenvolvido em um primeiro momento como um bombardeiro, o TU-95 também pode utilizado como uma aeronave estratégica multi-função. Suas asas envergadas para trás com um ângulo de 35º permitiu que a aeronave pudesse alocar uma grande quantidade (até 15.000kg) de bombas e mísseis, mais especificamente no seu centro de gravidade.

Torre de cauda de um Tu-95 com os dois canhões GSh-23. Foto via Reddit.

Com o passar dos anos, a Tupolev desenvolveu versões modificadas do TU-95, possibilitando ao veterano receber aviônicos modernizados, funções de reconhecimento, metralhadoras, transporte de mísseis, maior alcance intercontinental e reabastecimento em voo.

Sendo operado apenas pela Força Aérea Russa atualmente, o Tu-95 também já foi operado pela Força Aérea da Ucrânia. A aeronave conta com as variantes para o transporte civil (Tupolev Tu-114), patrulha marítima (Tupolev Tu-142) e propulsão nuclear (Tupolev Tu-95LAL).

DEIXE UMA RESPOSTA