Foto - Ministério dos Transportes/Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participam, nesta sexta-feira (6/9), às 9h30, da cerimônia de assinatura de contratos de concessão de 12 aeroportos das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste.

As assinaturas serão celebradas entre as três empresas vencedoras do leilão da 5ª rodada, realizado em 15 de março, e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), representada pelo Diretor Juliano Noman. A solenidade será realizada no Palácio do Planalto, em Brasília/DF.

O leilão de março rendeu um ágio médio de 986% sobre o lance mínimo total. Os novos concessionários são a espanhola Aena Desarrolo Internacional (Bloco Nordeste), a suíça Zurich Airport Latin America (Bloco Sudeste) e o Consórcio Aeroeste, formado pelas empresas brasileiras Socicam Terminais Rodoviários e Sinart-Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico (Bloco Centro-Oeste).

 

Ampliação e reformas

As empresas terão o compromisso de fazer investimentos para a ampliação e manutenção dos 12 aeroportos concedidos. De acordo com estudos do Ministério da Infraestrutura, estima-se, para os primeiros cinco anos de vigência da concessão, já considerada a correção inflacionária do período, investimentos totais de R$ 1,47 bilhão, sendo R$ 788 milhões no Bloco Nordeste, R$ 302 milhões no Sudeste e R$ 386,7 milhões no Centro-Oeste.

O Bloco Nordeste é formado pelos aeroportos de Recife/PE, Maceió/AL, João Pessoa/PB, Aracaju/SE, Campina Grande/PB e Juazeiro do Norte/CE. O Bloco Sudeste é composto pelos aeroportos de Vitória/ES e Macaé/RJ. Já o Bloco Centro-Oeste integra os aeroportos de Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta, todos no Mato Grosso. O prazo das concessões dos 12 aeroportos é de 30 anos.

Os leilões referentes à 6ª e à 7ª rodada, que incluem aeroportos localizados em todas as cinco regiões brasileiras, estão previstos para ocorrer até 2022. O Brasil possui, atualmente, o maior programa de concessão de ativos de infraestrutura do mundo.


 

Via – Ministério da Infraestrutura

DEIXE UMA RESPOSTA