Depois de quase três décadas realizando voos comerciais em velocidade supersônica, o Concorde se aposentou em 2003 sem deixar outros substitutos no mercado. Desde então as aeronaves remanescentes foram encaminhadas para museus, e todos os sistemas de voo do avião foram desativados.

Mas recentemente um grupo de entusiastas reativaram um curioso sistema do Concorde, o seu nariz móvel, que era utilizado para permitir a visualização da pista de pouso durante a aproximação para o procedimento de aterragem, realizado sempre com alto ângulo de ataque.

Concorde da British Airways pousando. Observe o nariz inclinado.

O nariz do Concorde era capaz de inclinar 12,5 graus, durante a decolagem e o pouso da aeronave. O mecanismo era acionado através de um comando no cockpit e tinha quatro opções de ângulos, 0º, 5º e totalmente deslocado (12,5º), uma quarta opção travava o nariz na sua posição para voo em cruzeiro, juntamente com a viseira.

Esse Concorde em específico realizou seu último voo em novembro de 2003, e foi encaminhado para o Museu Aerospace Bristol, no Reino Unido. Desde então nenhum sistema hidráulico da aeronave funcionou, todo o fluído foi drenado para evitar corrosão nas tubulações e bomba, o avião foi então colocado na condição de armazenamento.

“Gostaríamos de agradecer a todos os voluntários que generosamente deram seu tempo a este projeto, bem como à Zeus Hydratech, que generosamente forneceu a unidade de motor e bomba, eles gentilmente doaram o vital óleo hidráulico M2V”, disse o Aerospace Bristol.

Desde janeiro os administradores do local trabalham para restaurar os movimentos do Concorde, a aeronave foi até mesmo flagrada taxiando em fevereiro.

E no último dia 13 de abril a administração do local abriu suas portas para realizar o movimento do Concorde de inclinação do nariz, após a certificação de que o sistema não seria danificado durante a demonstração. Confira mais no vídeo abaixo.

O sistema hidráulico que aciona o nariz trabalha com uma pressão de até 3000 psi, ele precisou ser isolado para evitar que outras partes do sistema hidráulico da aeronave entrassem em funcionamento. O sistema elétrico também foi utilizado para poder selecionar os comandos no cockpit da aeronave.

Vale ressaltar que este foi o último Concorde que realizou voos comerciais, depois dele todos ficaram em solo. O museu fez este evento para comemorar o 50º aniversário do primeiro voo do Concorde, essa aeronave do vídeo, e que está na Aerospace Bristol, comemorará 40 anos do seu primeiro voo no próximo dia 20 de abril.