Red Bull Pilotos Swap Planes
Luke Aikins entrando no Cessna 182 prata da Red Bull. Foto: Red Bull

A Red Bull realizou neste domingo (24/04) após um atraso considerável, a sua demonstração aérea “Swap Planes“, como o próprio nome diz, uma troca de aviões pelos pilotos durante o voo.

A decolagem das aeronaves foi realizada aproximadamente às 22h00 (horário de Brasília), como tudo ocorreu no Arizona (EUA), ainda tínhamos a presença da luz do sol. Duas aeronaves Cessna 182 foram escolhidas para essa arriscada missão.

Cessna 182 red bull Swap Planes
Aeronaves em posição de mergulho. Foto: Michael Clark/Red Bull Content Pool

Os pilotos voaram até uma área escolhida, alinharam a 14000 pés (4265 metros) e também longitudinalmente as asas até entrarem propositalmente em uma condição de mergulho.

Então Luke Aikins e Andy Farrington deixaram os seus aviões no momento de estol e iniciaram a queda livre. Os dois estavam equipados com paraquedas em caso de algum problema. Você pode acompanhar um trecho no vídeo abaixo, ou a demonstração completa Clicando Aqui.

No vídeo acima, da demonstração, podemos ver como o Cessna 182 com a pintura azul entra em uma condição de estol de parafuso. Os dois aviões tinham uma placa funcionando como speedbreak para reduzir a velocidade de mergulho da aeronave.

Luke Aikins até conseguiu mergulhar rumo ao avião cinza e assumir o comando, segundos após abandonar sua posição na aeronave azul. Contudo, o piloto Andy Farrington não conseguiu acompanhar a outra aeronave que estava em parafuso e precisou pousar com paraquedas.

Um helicóptero da Red Bull acompanhava toda a cena, e forneceu a carona ao piloto que precisou pular com paraquedas. Já Aikins conduziu a única aeronave restante rumo ao aeroporto em que decolou minutos antes.

A Red Bull ainda não divulgou se haverá uma nova tentativa de realizar esta manobra.

 

Histórico

Pilotos Luke Aikins e Andy Farrington após a tentativa de troca de aeronaves.

Aikins e Farrington são primos que atribuem sua herança aeronáutica ao avô, Lenny, um piloto de caça da Segunda Guerra Mundial. Seu avô foi abatido e devido ao congelamento de seu dossel, não conseguiu evacuar seu P47. Quando voltou para os EUA, ele se perguntou como seria pular de um avião, então montou uma escola de paraquedismo.

Os pais de Aikins e Farrington também voaram e pularam, então era óbvio que seus filhos fariam a mesma coisa – Aikins ainda estava no útero quando saltou de um avião. Ambos os meninos cresceram em um aeródromo e pularam o máximo possível. Eles também começaram a voar e ambos fizeram seus primeiros voos solo aos 16 anos.

Além de primos, os dois são altamente sintonizados um com o outro, o que é ideal para o desafio Plane Swap. Eles costumam voar em formação juntos e completaram mais de 5000 saltos juntos. 

 

Engenharia das aeronaves para este desafio

Foto: © Red Bull Content Pool

Toda a engenharia do desafio foi formulada pelo engenheiro brasileiro Paulo Iscold, formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Minas Gerais. Ele desenvolveu os métodos para manter a velocidade dos aviões em aproximadamente 200 km/h durante o mergulho.

Esta velocidade é ideal para que os pilotos acompanhe o avião no mergulho, e também mantém o Cessna 182 longe da velocidade limite suportada pela aeronave.

https://twitter.com/RedBullBR/status/1518375927801077764

A equipe da Red Bull também desenvolveu um piloto automático próprio, para manter o avião “caindo” em direção ao solo. A questão aqui é que não há garantia de que a aeronave permanecerá na mesma linha sem um piloto nos controles. Para isso, o sistema de freio aerodinâmico desenvolvido ajuda desenvolvendo 9 vezes mais arrasto em comparação com o próprio avião.

O sistema de comunicação independente por piloto também foi desenvolvido separadamente.