Virgin Atlantic deve receber mais £ 200 milhões de Richard Branson

A Virgin Altlantic anunciou que deve receber £ 200 milhões(US $ 248 milhões) de seu principal acionista, Richard Branson. A ajuda vem em momento crucial para a empresa, que ainda busca o empréstimo de 1 bilhão ainda nesse mês.

Além da injeção de dinheiro de Richard, de acordo com especialistas da Virgin, também foram investidos cerca de 400 milhões de dólares adicionais (US$ 496 milhões) de apoio dos acionistas.

Em um momento que a demanda não está recuperada nem mesmo para dar uma margem minima de lucro para a empresa, a Delta também garantiu um aporte financeiro para ajudar a Virgin.

Para garantir que a atual estrutura acionária da Virgin Atlantic não mude, o compromisso da Delta provavelmente será na forma de pagamentos diferidos para back-office compartilhado e plataformas de TI e taxas de marca.

A companhia também está em negociações com fundos de hedge, Elliott e Davidson Kempner Capital management. O grupo de private equity norte-americano Centerbridge Partners retomou as negociações no fim de semana.

Outras partes do pacote de refinanciamento incluem negociações sobre o adiamento de taxas de locadores e reguladores de aeronaves, além de conversas com emissores de cartões de crédito, que estão retendo cerca de £ 250 milhões em fundos.

“A Virgin Atlantic está trabalhando em uma recapitalização abrangente e solvente da companhia aérea para garantir que possamos continuar a fornecer conectividade e concorrência essenciais para consumidores e empresas na Grã-Bretanha e além. Desde o início da crise do Covid-19, tomamos decisões difíceis e tomamos medidas decisivas para reduzir nossos custos, preservar dinheiro e proteger o maior número possível de empregos.” 


“Agradecemos imensamente o apoio de nossos acionistas, credores e investidores privados e, trabalhando juntos, garantiremos que a Virgin Atlantic possa emergir da crise como uma companhia aérea lucrativamente sustentável, com um balanço saudável.” Disse um porta-voz da Virgin.

A Virgin Atlantic, que no mês passado completou 36 anos  está entre as companhias aéreas mais afetadas durante a pandemia de coronavírus. Embora algumas rotas estejam programadas para serem retomadas em julho, a companhia aérea disse anteriormente que sua frota talvez precise permanecer majoritariamente em solo até agosto.

 

DEIXE UMA RESPOSTA