Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Vulcão na Islândia

A recente erupção de vulcões na Islândia, um país insular no norte do Atlântico, está colocando em alerta alguns voos que passam pelo local, devido aos gases emitidos.

A primeira erupção na Islândia em seis anos está acontecendo através de diversas fissuras eruptivas, abrangendo uma área de aproximadamente um quilômetro quadrado. Por enquanto a atividade vulcânica no local está diminuindo aos poucos, mas ainda há emissão de lava neste local.

Como precaução, o controle de tráfego aéreo foi avisado da ocorrência, e está emitindo um aviso para as aeronaves que operam em Reykjanes. O governo local, por sua vez, bloqueou por algumas horas neste sábado a pista que dá acesso ao Aeroporto Internacional de Keflavik.

A erupção do vulcão Fagradalsfjall está localizada em um local que faz a ligação entre a capital islandesa, Reykjavik, ao Aeroporto Internacional de Keflavik.

“Por volta das 20:45 UTC [17:45 no horário de Brasília] de hoje, 19 de março, uma erupção vulcânica começou em Geldingadalur, perto de Fagradalsfjall na Península de Reykjanes […] De acordo com planos de contingência bem ensaiados, o código de cor da aviação para a Península de Reykjanes foi elevado para vermelho, significando uma erupção em andamento”, disse a Agência Meteorológica Islandesa (IMO).

A companhia local, Icelandair, aproveitou o momento para postar algumas belíssimas fotos dessa erupção que é a primeira, em 800 anos, para o vulcão Fagradalsfjall, após mais de 50 mil atividades sísmicas nas últimas semanas.

 

Por qual motivo há cuidados especiais com um avião na fumaça dos vulcões?

O avião é capaz de voar em diversas condições, com uma poluição muito forte, neblina, nevasca e até mesmo com forte chuva, mas as cinzas vulcânicas podem causar problemas em aeronaves.

Erupção de vulcão que ocorreu em 2011 no Chile, e afetou aeronaves na Argentina.

A composição básica da cinza vulcânica é com base em materiais vitrificados, silicatos e rochas pulverizadas (em partículas bem pequenas). Além de ter uma densidade muito alta, o que pode entupir dutos, não permitir a visão externa e causar outros defeitos, esses componentes quando entram em contato com o calor interno do motor, que extrapola os 900º C na câmara de combustão.

Quando em alta velocidade, tanto as pás do motor como a fuselagem podem sofrer com o efeito de “lixa” da poeira nessas condições, lembrando, aqui temos silicatos e compostos vitrificados de alta dureza, indo contra um motor com milhares de rotações por minuto e a um avião que está a 850 km/h.

Cinzas vulcânicas depositadas em estado sólido na turbina de um motor aeronáutico.

O mesmo silicato, que pode ter esse efeito de lixa nas pás, deformando o formato das mesmas, também causa danos quando entra no motor da aeronave, visto que ele encontra a câmara de combustão em alta temperatura e forma uma camada de sólida nas pás da turbina.

Dessa forma temos um motor incapaz de funcionar, com erosão precoce do compressor, a turbina com dejetos de fumaça vulcânica e a turbina com restrição de passagem de ar, além da deformação do formato das pás, pelo acúmulo de material sólido.