O Aeroporto de Pampulha, em Belo Horizonte, sofreu novamente com um adiamento da decisão que poderia abrir novos voos comerciais com aviões de grande porte. Atualmente o Aeroporto da Pampulha só pode receber aeronaves turboélices em voos comerciais, como ATR, e alguns voos de taxi aéreo com aviões de pouca capacidade.

De acordo com a Anac o Aeroporto da Pampulha poderia voltar a operar com 1,5 milhão a 2 milhões de passageiros por ano, e impactar diretamente na movimentação doméstica do Aeroporto de Confins, assim como ocorre no Rio de Janeiro com o Aeroporto do Galeão e o Santos Dumont.

Quatro diretores da Anac já votaram a favor para liberar voos na Pampulha, de cinco diretores no total. Enquanto a Anac aprova a abertura do Aeroporto da Pampulha para novos voos com as famílias de aeronaves Boeing 737 e Airbus A320 o Ministério dos Transportes se mostra contrário a essa implementação.

O presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Ricardo Botelho, não tem uma estimativa sobre a data para uma nova votação que autorize a operação de aeronaves comerciais de tamanho médio no Aeroporto da Pampulha, mas reforçou que se ocorrer uma aprovação as companhias aéreas poderão começar a solicitação de voos para o aeroporto.

This post is available in: pt-brPortuguês