Foto - Divulgação/Infraero

Prestes a completar 62 anos, no próximo domingo (08/04), o Aeroporto de Londrina (PR) que já teve sua área de embarque ampliada, agora trabalha para expandir a estrutura do sistema ELO, conectores que já oferecem conforto aos embarques e desembarques dos passageiros que utilizam o terminal, com destaque para o atendimento de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. A conclusão desta ampliação deve ocorrer ainda este ano.

Para a nova sala de embarque, inaugurada em setembro do último ano, foram investidos mais de R$3,6 mi, ampliando a área de 400 m² para 1,2 mil m². O espaço agora conta com quatro portões de embarque, três canais de inspeção, espaços para estabelecimentos comerciais, bem como novos assentos. Além disso, foram instalados novos banheiros, tanto na área de embarque quanto no saguão, com acessibilidade para pessoas com necessidades especiais e fraldário.



De acordo com o superintendente do terminal, Ademir Gauto, a previsão é de que o aeroporto melhore cada vez mais. “O Aeroporto de Londrina vem proporcionando melhorias na infraestrutura para que os passageiros e demais clientes que utilizam as instalações aeroportuárias para viagens de negócio, passeios, ou mesmo para exploração de atividades comerciais, encontrem mais conforto, comodidade e segurança”, estimou. Com o investimento de R$4,2 mi, as obras de construção, ampliação e reforma do edifício administrativo e das instalações da Sala Radar, ainda estão em andamento, com o prazo de conclusão para setembro de 2018.

Foto – Divulgação/Infraero

O sítio aeroportuário de Londrina abrange uma área de 727 mil metros² e com a ampliação da sala de embarque, o terminal pode receber até 3,1 milhões de passageiros ao ano. Os usuários que passam pelo local encontram mix comercial variado, com lanchonetes, restaurante, choperia, chocolateria, delicatessen, lojas de malas e bolsas, souvenirs, serviço de proteção de bagagem, locadoras de veículos, agências de turismo, cosméticos artesanais, serviço de caixas eletrônicos e estacionamento de veículos. Com o funcionamento de 24h, em 2017 passaram pelo terminal londrinense mais de 880 mil viajantes, e, entre os meses de janeiro e fevereiro de 2018, já foram contabilizados 130.609 passageiros.

Atualmente, o aeroporto recebe uma média diária de 16 voos comerciais administrados pelas companhias aéreas Azul, Gol e Latam, que ligam Londrina a três destinos nacionais – São Paulo, Curitiba e Cuiabá, além de outros estados, por meio das conexões.

Para Ademir Gauto, o Aeroporto de Londrina contribui para a visibilidade do município, além de ser estratégico para o desenvolvimento de cidades vizinhas. “Por ser um polo de desenvolvimento estadual e regional, Londrina é um importante eixo, que liga o Sul ao Sudeste do país, sendo o aeroporto o principal meio de ligação entre a capital do estado e outros grandes centros”, explicou.

Há ainda o Terminal de Logística de Carga (Teca), que cresceu quase 210% desde a sua inauguração, em 2008, quando registrou 482 toneladas. Número distante do resultado alcançado em 2017, ano em que movimentou mais do que o triplo: 1.493,7 toneladas.

 

Curiosidades históricas

O Aeroporto de Londrina foi inaugurado em 8 de abril de 1956, mas sua história teve início em 1949, quando foi erguida uma casa de madeira no local onde hoje funciona o atual terminal de passageiros, na zona Leste da cidade. Nesse período, a região Norte do Paraná se desenvolvia aceleradamente em virtude do avanço do café no interior do país.

Por esse motivo, o Aeroporto de Londrina foi, até o ano de 1962, o terceiro mais movimentado do país, atrás apenas de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ). A cidade recebia diversos empresários de São Paulo, que dispunham apenas do transporte aéreo para chegar à cidade, pois as rodovias eram precárias. Era comum a existência de voos para cidades não muito distantes, como Maringá, Apucarana, Arapongas e Jacarezinho.

Até o início das obras da grande reforma em 2000, que ampliou o terminal de passageiros, possibilitando a instalação de novas lojas e áreas operacionais, trazendo mais conforto aos usuários e passageiros, o aeroporto manteve os seus traços básicos, na exceção de alguns reparos.

 

Via – Infraero