Montagem de Aeronaves A320 no Alabama - EUA. Foto - Airbus

Apesar de ter como meta atingir a taxa de produção de 60 aeronaves da família A320 por mês, a Airbus planeja aumentar ainda mais essa produção.

A empresa ainda não concluiu se realmente fará isso, visto que depende de uma forte demanda de mercado, e também da disponibilidade das companhias aéreas de receber tantos aviões novos. Mas caso o plano se concretize, a produção poderá ser de até 70 aviões por mês, o que resultaria em uma capacidade de produzir 840 aviões da família A320 por ano.



Internamente a empresa já viveu essa indecisão. Antes de se aposentar John Leahy sugeriu que um aumento da produção, vale lembrar que Leahy era COO do Airbus Group. Mas Fabrice Bregier comanda a parte de aviões comerciais não gostou da ideia, preferiu ser cauteloso e manter o aumento de forma mais branda.

A questão é, John Leahy foi substituído em janeiro, devido a sua aposentadoria, e Fabrice Bregier, mais conservador, agora está deixando seu cargo, e quem assume é o CEO da Airbus Helicopters , Guillaume Faury, conhecido pela sua passagem na empresa com amplo desenvolvimento de novos produtos e avanços, como o helicóptero H160 e o conceito X6.

De certa forma aumentar tanto a produção em poucos anos causa um impacto geral na produção da Airbus. Em 2017 a empresa produziu 558 aeronaves da família A320, e precisou de linhas de montagem em Hamburgo, EUA, Toulouse e China para atingir essa produção. Sua concorrente, com uma linha de montagem só nos EUA, produziu 529 aviões da família 737. Assim como a Airbus, a Boeing planeja expandir sua fabricação do 737 MAX para atender à demanda do mercado.

Vale lembrar que a fabricante trabalha com uma folga de produção, visto que as companhias aéreas não podem receber uma quantidade de aviões incompatível com a demanda. Logo a produção varia ao longo dos 12 meses de um ano, mas mesmo assim, expandir a capacidade é algo vantajoso, visto que a empresa pode atender a uma demanda temporária de forma correta.

A Airbus está atualmente com mais de 6300 encomendas a serem entregues somente da família A320, se a produção se mantiver em uma taxa de 46 aviões por mês, como em 2017, a fabricante demoraria mais de 136 meses ou 11,4 anos para entregar todos esses aviões. Isso se as companhias não encomendarem mais aeronaves.

Outro fator que altera a demanda da família A320 é as novas versões criadas pela empresa. Até pouco tempo não havia o A321neo LR, uma versão de longo alcance do A321, capaz de fazer voos de longo alcance. A Airbus também planeja produzir uma versão militar do A320, com capacidade de reconhecimento, vigilância e patrulha marítima.