A Boeing está confiante que conseguirá entregar o 777X um ano antes do previsto inicialmente, o maior motivo seria a pressão do maior cliente da aeronave, a Emirates que atualmente conta com 150 encomendas, além de influência do Airbus A350-1000XWB, que concorre com o 777-8X e chegará em breve ao mercado.

A data oficial para a primeira entrega estava marcada para o final de 2020, porém a Boeing estima que com o bom encaminhamento para a certificação do GE9X seja possível realizar a primeira entrega nos últimos meses de 2019. A Boeing nega te tenha realizado alterações significativas no cronograma do projeto, apesar de fontes da fabricante dizerem o contrário, que a imensa citação da Emirates pelo 777X nos últimos dias tem acentuado a preocupação quanto a concorrência e satisfação aos clientes.

Recentemente a Boeing adiantou a primeira entrega do Boeing 737-MAX, justificando que o mercado necessitava de uma aeronave narrow-body de nova geração da Boeing, notavelmente uma redução do atraso entre o A320neo e a linha MAX. Com o 777X a situação da Boeing se complica, graças a tecnologias como asa dobrável feita em material composto e os novos motores GE9X que não foram certificados pela FAA, e que ainda está sendo concluída a montagem da primeira unidade.

A Emirates diz que o novo 777X ajudará a companhia com a expansão de sua oferta de assento, além de trazer mais competitividade e eficiência para a frota.

O Boeing 777X é uma aeronave de nova geração, que é cerca de 15% mais econômico quando comparado com o atual 777. Entre suas inovações está um par de asas em material composto, com tamanho maior e pontas dobráveis. O novo motor GE9X promete uma redução de 10% no consumo do atual GE90, enquanto os aviônicos são atualizados e o interior ganha mais espaço através de um redimensionamento interno.

COMPARTILHAR