Há uma semana publicamos por aqui sobre o primeiro Airbus A380 operado por uma companhia aérea, ele estava sendo “aposentado” pela Singapore após 10 anos de uso, ao finalizar o contrato de locação com a empresa de leasing Dr. Peters.

Ao ser devolvida a aeronave foi estocada na França, e teve seus motores retirados pela Rolls-Royce, que aproveitou para enviá-los à outra companhia aérea.

Mas de acordo com uma publicação do Portal FlightGlobal, em entrevista com o presidente-executivo da Dr. Peters, a British Airways pode ser a nova cliente do avião.

Foto – Tacmac Aerosave

Anteriormente a Dr. Peters estava negociando o avião com companhias asiáticas e da América do Norte, porém ninguém esperava que a British Airways fosse demonstrar interesse em um avião em que ela já opera na sua frota, e não tem mais nenhuma encomenda para o mesmo.

“Uma série de empresas de carga também estão mostrando interesse pela conversão de cargueiros, incluindo uma das maiores do mundo”, disse Anselm Gehling.

O avião está muito novo, isso devido ao tipo de contrato, onde a Singapore precisa devolver o avião em plena capacidade de voo, o que significa que os interiores, motores e outros elementos devem ser novos, além disso a aeronave deve ser pintada de branco no ato da devolução. É isso ou pagar uma multa de US$ 25 milhões por avião.

Foto – Tacmac Aerosave

Destacamos que esse interesse da British Airways pode derivar do grupo IAG, em janeiro de 2016 o executivo-chefe da IAG, Willie Walsh, disse que havia um interesse em colocar cerca de 5 ou 6 aviões do modelo A380 em uma companhia aérea de baixo custo do grupo. Ele destacou que o A380 é fantástico, mas inflexível, por isso a aeronave deveria operar em rotas específicas de alta demanda permanente, fazendo voos entre a Europa e os Estados Unidos.

A British Airways não declarou nada em relação aos comentários do executivo-chefe da Dr. Peters.

Enquanto isso a Dr. Peters está comprometida em alugar mais quatro A380 que vai receber da Singapore Airlines, e que foram os primeiros do mundo, para uma outra companhia aérea que planeja operar com a aeronave. A empresa já disse que dois clientes podem se interessar pelos aviões. Para aumentar a atratividade a Dr. Peters vai equipar os aviões com motores novos, atualizados e mais econômicos.

Foto – Tacmac Aerosave

A empresa não destacou a possibilidade de, à longo prazo, fazer o desmonte do avião para vender peças, caso nenhuma companhia se interesse pelos próximos dois anos. Esse processo pode render US$ 100 milhões para a Dr. Peters, mas atualmente essa aeronave é cotada em US$ 250 milhões, e com certeza tem uma sobrevida no mercado de carga, que até hoje opera os velhos DC-10.

É fato que a empresa deixou de receber US$ 1,7 milhão por mês pelo aluguel do A380, os motores da Rolls-Royce foram comprados cada um por US$ 480.000, mas a estocagem na Tacmac Aerosave custa US$ 94.000 por mês, um valor bem elevado e que não pode ser sustentado por muito tempo.

COMPARTILHAR