Pouco antes de começar o Dubai Airshow, a Airbus ressaltou que está perto de apresentar o primeiro A321neo com as alterações do “Cabin-Flex”, que também será equipado com uma configuração que eleva o MTOW (peso máximo de decolagem) para 97 toneladas, além de tanques extras que compõe a versão LR.

Com essas alterações a Airbus será capaz de colocar em testes 3 variantes do A321neo ao mesmo tempo, economizando tempo e dinheiro na certificação da “nova aeronave”. A primeira entrega continua prevista para o 4 trimestre de 2018.

A montagem final já está em estágio avançado, e os testes começarão na próxima semana em Hamburgo, na Alemanha, usando a unidade da Airbus em Toulouse, na França, como apoio. 

Depois de construir essa aeronave a Airbus precisa certificar ela para as diversas situações de emergência que podem acontecer durante o voo, como por exemplo a evacuação de passageiros, já que a aeronave tem uma nova configuração de portas, a fabricante europeia precisa garantir que consegue retirar 240 pessoas em 90 segundos.

A Airbus também assumiu que colocará escorregadores de emergência com maior largura, que permite uma evacuação mais ágil e fácil, em situações de emergência. O mesmo foi incorporado no A321neo normal.

 

Cabin-Flex

O conceito “Cabin-Flex” do A321neo já foi apresentado anteriormente por aqui, ele consiste em alterações nas saídas de emergência e portas para aumentar a capacidade do avião em 20 assentos. 

Para fabricar um A321neo com maior capacidade de passageiros a Airbus fez algumas modificações no projeto. Anteriormente com duas portas comuns (de embarque e desembarque) à frente da asa, agora o A321neo só terá uma porta na parte frontal da aeronave, a outra foi substituída por uma janela de emergência acima da asa, que ocupa menor espaço internamente.

A terceira porta da aeronave, que agora é a segunda, foi movida ainda mais para a parte traseira, para não ficar tão próxima da saída de emergência das asas. Ela também ocupa menor espaço interno e pode ser desativada, ao custo da criação de outra saída de emergência na asa, totalizando duas.

Foto – Airbus

A parte traseira da aeronave, perto dos banheiros e da galley, agora tem o conceito Space Flex incorporado, que diminui o espaço do arranjo traseiro, e consequentemente da galley e dos banheiros. A Airbus já usa esse conceito no A320neo para conseguir atingir a capacidade de 189 passageiros.

Essas alterações serão um padrão após 2020, por enquanto as companhias compram como um pacote opcional.

 

MTOW e versão LR

Somente com a maior economia proporcionada pelos motores de nova geração, e as sharklets, o A321neo já foi capaz de aumentar sua autonomia em 15%, comparando com a geração anterior. Porém quando a Airbus foi capaz de aumentar ainda mais a capacidade de combustível da aeronave ao substituir espaço no porão de cargas por um tanque de combustível adicional.

E justamente por isso o avião teve seu MTOW aumentado para 97 toneladas, em comparação com as 93 toneladas da geração anterior. Com essa expansão o A321neo pode continuar decolando da mesma forma sem sofrer restrições por conta do maior volume de combustível a bordo.

A variante LR fornece 650 km a mais de alcance, e leva essa versão a ser capaz voar por até 7400 km e configuração de menor carga e maior economia. A Airbus declara que o avião pode voar por até 6500 km carregando 206 passageiros em Classe Econômica.

 

 

This post is available in: pt-brPortuguês