Artigos Militar

Esquadrilha da Fumaça completa 65 anos

No dia 14 de maio de 1952 ocorreu algo que mudaria para sempre o cenário da aviação brasileira, nascia a “Esquadrilha da Fumaça”, com a primeira demonstração em Copacabana. Neste dia decolava da Base Aérea dos Campos dos Afonsos-RJ, onde se situava na época a Escola de Aeronáutica, os instrutores com seus lendários e barulhentos North American T-6 Texan.

A proposta partiu dos instrutores de voo da FAB, que no tempo livre se dedicavam a realizar acrobacias, a fim de mostrar aos cadetes o bom desempenho dos T-6 e encorajá-los a voarem, porém tal iniciativa não chamou atenção apenas dos alunos do auto comando da FAB.

Foto – FAB

No ano de 1963 a Esquadrilha da Fumaça foi oficializada como uma “Unidade Oficial de Demonstração Aérea da Força Aérea Brasileira”. A Esquadrilha da Fumaça é a 3º mais antiga do mundo ficando atrás apenas do time de demonstração aérea da marinha americana, os Blue Angels e da força aérea francesa Patrouille de France, que usam aeronaves à reação nas demonstrações.

No ano de 1969 chegou sete jatos de fabricação francesa Super Fouga Magister, porém a Fumaça operou por pouco tempo com o jato francês nas demonstrações. A solução foi à volta dos T-6 Texan, na verdade os North American não haviam sido aposentados e após a saída do Super Fouga Magister retomaram os voos com os fumaceiros (assim são conhecidos os pilotos da Esquadrilha da Fumaça).

Mas nada dura para sempre, em 1976 foram aposentados os clássicos T-6 Texan das atividades na Fumaça. Além de colecionar mais de 1970 apresentações, é na FAB que o T-6 tem o piloto com mais horas de voo nessa aeronave, trata-se do grande Cel. Braga, que integrou a equipe de demonstração e com a saída do T-6 Texan continuou voando o pássaro norte-americano, marcando esse recorde mundial.

Durante um curto período a Esquadrilha da Fumaça ficou inativa, porém novamente um grupo de instrutores voltou a voar com Fumaça e fazer acrobacias, porém dessa vez com outra aeronave, o Neiva T-25 Universal, o time formado na época era uma esquadrilha da AFA (Academia da Força Aérea) e ficou conhecida como, “Comenta Branco”.

Mas a história não acaba dessa forma. O retorno da Fumaça veio com tudo e com uma aeronave nacional de grande relevância. Em 1982 foi criado o que é hoje o EDA (Esquadrão de Demonstração Aérea, o nome com nome público de Esquadrilha da Fumaça).

Aeronaves T-27 Tucano. Foto – FAB

Em 1983 a nova fase deu continuidade com a aquisição do Embraer 312, o T-27 Tucano, que por mais de 30 anos voou com a Fumaça pelo Brasil e pelo mundo. A chegada do Tucano não poderia ser melhor para a Fumaça, pois com o time de demonstração poderia se mostrar o novo treinador avançado da FAB para o mundo e nada melhor do que um time de grande relevância como a Esquadrilha da Fumaça.

Com o T-27 Tucano a Esquadrilha ganhou o mundo, participando de grandes shows aéreos nos EUA, América do Sul e Europa. Durante os 30 anos de serviços do T-27 Tucano na Fumaça ouve momentos históricos para o EDA. Um deles ocorreu em 2002, quando os tucanos passaram das cores vermelha e branca para as cores da bandeira nacional, o que tornou ainda mais visível à identidade da Esquadrilha no Brasil e no exterior.

Outro fato de importância foi a quebra do recorde mundial do maior números de aeronaves voando de dorso (voo invertido), tal fato se deu no ano de 2006 onde 12 aeronaves da Fumaça voaram a maior distância em um voo invertido, o recorde está no Guiness Book.

EDA voando invertido com os A-29 Super Tucano.

Passados 30 anos, em 2013 encerra-se o ciclo de mais uma aeronave que passou pela Fumaça, no dia 29 de março de 2013 no Lago Paranoá (Brasília) acontece a última demonstração com o guerreiro T-27 Tucano.

A história do 3º time de demonstração aérea mais antiga do mundo não termina por aí, entra em cena a atual aeronave do EDA, o Embraer 314 A-29 Super Tucano. Ao longo de dois anos foi feito o treinamento dos pilotos para a nova aeronave, a introdução das acrobacias na nova aeronave, incluindo novidades no setlist como o Lancevak e o Chumbóide, em julho de 2015 o EDA retoma as demonstrações.

Depois de 3600 apresentações, a Fumaça está a todo o vapor e com diversas demonstrações agendadas para este ano de 2017. Hoje, dia 14 de maio de 2017, esse time mundialmente conhecido completa 65 anos.

Ao longo desses 65 anos são muitas histórias, pessoas no interior do nordeste, que nunca tinham visto um avião, puderam ver muito mais, puderam sentir uma emoção e adrenalina que só a Esquadrilha da Fumaça é capaz de demonstrar no céu. Mas também é a meta de muitos sonhos, o EDA já foi fonte de inspiração para muitas pessoas entrarem no mundo da aviação profissionalmente.

O EDA também tem como papel a diplomacia brasileira, pois quando vão a um evento internacional representa o Brasil, mostra a capacidades dos aviadores brasileiros, bem como a rica indústria aeroespacial nacional.

Ambos fumaceiros e anjos da guarda (assim são chamados os mecânicos que trabalham na Esquadrilha) tiveram papel fundamental para o sucesso que nosso time de demonstração é hoje. Porém ressaltamos alguns nomes que marcaram ainda mais o EDA, são eles o querido Cel. Braga (o piloto com mais horas de voo em um T-6 Texan no mundo) e o caro Ribeiro Júnior, que foi o grande responsável pela volta da Fumaça e a aposta no T-27 Tucano na FAB e no mercado da aviação militar.

Por fim a Aeroflap dedica esse artigo a esse time que com grande habilidade e como uma espécie de balé aéreo encanta corações e incentiva futuros sonhos. Fumaça Já, hoje e sempre.

 

Aeronaves que passaram pela Fumaça

North American T-6 Texan

Arte – Rudnei Dias da Cunha

Período de utilização: 1952 a 1976

Fabricante: North American Aviation – USA

Emprego: Treinamento avançado, Esquadrilha da Fumaça, tiro e borbardeio

Características: Monoplano, asa baixa, monomotor e biplace

Motor: 1X Pratt & Whitney R-1340-AN-1 de 600 Hp, radial de 9 cilindros

 

Super Fougar Magister

Arte – Rudnei Dias da Cunha

Período de utilização: 1969 a 1974

Fabricante: Sociétè Nationale Industrielle Aérospatíale – França

Motor: 2X Turboméca Marboré VI  com 1058 lb de empuxo cada

 

Neiva T-25 Universal

Arte – Rudnei Dias da Cunha

Fabricante: Sociedade Construtora Aeronáutica Neiva – Brasil

 Emprego: Treinamento e Esquadrilha da Fumaça

 Características: Monoplano, asa baixa, monomotor, biplace lado a lado

Motor: 1X Lycoming 10-540K 1D5 de 300Hp, horizontal de 6 cilindros opostos e injeção direta

 

 Embraer 312 T-27 Tucano

Arte – Rudnei Dias da Cunha
Arte – Rudnei Dias da Cunha

Período: Entre 1983 e 2013

Fabricante: EMBRAER – Brasil

Emprego: Treinamento

Características: Monoplano, asa baixa, monomotor turboélice, biplace

Motor: 1X Turboélice Pratt & Whitney PT6A-25C de 750 Shp

Embraer 314 A-29 Super Tucano 

Arte Rudnei Cunha

Período: 2015 até hoje ( aeronave atual da fumaça)

Fabricante: EMBRAER- Brasil

Motor: P&W PT6A-68C 1.600 SHP

Velocidade máxima nivelada: 590km/h

Caracteristicas: Monoplano, monomotor turbohélice, monoplace e biplace

 

Confira mais fotos do EDA no álbum abaixo:

 

Quebra do recorde de aeronaves em voo invertido (2006):

 

About the author

André Magalhães

André Magalhães

Redator da Aeroflap - Jornalista com foco em aviação e fanático por Aviação Militar - Fotógrafo/Spotter

Newsletter

[newsletter_signup_form id=1]

Facebook

Em busca de hotel?


Share This