O 4º Esquadrão de Transporte Aéreo (4º ETA), conhecido também como Esquadrão Carajá, localizado na Ala 13, em São Paulo, foi acionado no dia 21 de junho para cumprir uma Missão de Transporte de Órgãos e Tecidos (MTOT). Na ocasião, foram transportados cinco órgãos de uma só vez.

A tripulação de sobreaviso do Esquadrão Carajá decolou com destino a Curitiba (PR), onde dois médicos e um enfermeiro embarcaram e seguiram para a cidade de Francisco Beltrão (PR), com objetivo de coletar um coração, um fígado, um pâncreas e dois rins. Feito isso, a tripulação retornou à capital paranaense, onde estavam os receptores.



Após o pouso, o Tenente Aviador Leonardo de Andrade Ripp, Comandante da aeronave que realizou o transporte, falou sobre a operação. “Fazer parte de uma missão tão nobre desencadeia um misto de emoções. Por um lado, a vontade de ajudar a salvar uma vida faz o coração bater mais forte, acelera, enche o corpo de adrenalina. Por outro, a responsabilidade de conduzir o avião em segurança é ainda maior nessa situação. Tenho que fazer tudo com o dobro da calma para que dê certo. Hoje, foram cinco órgãos, cinco vidas, cinco famílias que amanheceram com mais esperança. Pensando nisso, eu só posso agradecer a Deus por me presentear com esta tarefa tão linda”, declarou.

A missão foi cumprida com sucesso, sendo empregadas 05h25min de voo da aeronave C-95 Bandeirante. Por sua localização privilegiada, o Esquadrão Carajá alcançou a marca de 30% dos transportes de órgãos realizados pela Força Aérea Brasileira (FAB). Somente em 2017, 116 horas de voo foram empregadas em Missões de Transporte de Órgãos e Tecidos, totalizando o transporte de 33 órgãos nas asas do 4º ETA.

Um dos pilares da FAB é o apoio ao Sistema Nacional de Transplantes, já que o transporte de órgãos vitais por meios aéreos é fundamental, tendo em vista que, após serem extraídos, os órgãos devem ser transplantados em poucas horas.

 

Via – Força Aérea Brasileira