Após criticar os custos do novo Air Force One, Trump também atacou outra empresa norte americana do setor aeronáutico, a Lockheed Martin, o alvo do futuro presidente americano dessa vez foi o programa F-35, que segundo ele “está com os custos fora de controle”.

Essa declaração de Trump ocorreu poucos minutos antes da Lockheed Martin entregar duas unidades do caça F-35 para o Governo Israelense. A Lockheed também afirmou que o custo do programa F-35 para os próximos anos é bem menor do que qualquer caça de quarta geração produzido pela empresa, atualmente o F-35 pertence a nova classe dos Stealth, caças de quinta geração.

Donald Trump também criticou abertamente o programa F-35 na televisão americana, porém sem antes publicar em seu Twitter sobre esse assunto. A repercussão do Twitter causou uma desvalorização de 3% nas ações da Lockheed Martin, o suficiente para fazer a empresa perder US$ 3,5 bilhões.

Foto - Divulgação /Lockheed Martin
Foto – Divulgação /Lockheed Martin

A Lockheed ainda destacou a grande versatilidade do F-35, que tem três versões com diferentes finalidades e também pode ser vendido para países parceiros, que colaboram para diminuir os custos de projeto do caça conhecido por gastar quase 500 bilhões de dólares só para o seu projeto e correções posteriores.

Cada unidade do F-35 custa entorno de 100 milhões de dólares, a Força Aérea Americana estima que gastará 1 trilhão de dólares para manter a frota de F-35 ativa por 60 anos, tempo limite projetado para o caça. 

A Lockheed Martin relata que trabalhou intensamente para diminuir os custos do programa em 70%, mas parece que Trump quer realizar mais cortes após assumir a presidência, no dia 20 de janeiro, assim como também quer realizar cortes no programa do Air Force One.

COMPARTILHAR