Era um domingo, tradicionalmente um dia de folga… Menos para a Boeing!

Em Everett surgia no céu uma aeronave que mudaria bastante a história da aviação, inclusive atualmente, nascia o 777 que voava, o 777 que praticamente aniquilaria os trimotores e também os quadrimotores. Era a evolução da Boeing pronta para manter o domínio no mercado de jatos widebody durante vários anos.

Depois desse primeiro voo a aeronave passou por um programa de testes para a certificação que durou apenas 11 meses, bem menos que o Boeing 787 fez anos depois, boa parte disso foi devido às tecnologias usadas, que evitou uma inovação gigantesca como aconteceu no 787. A United foi a primeira companhia que usou o avião, em 1995, logo após, na década seguinte, a Varig receberia o primeiro 777-200ER da sua frota.

O desenvolvimento com base em programas de desenho em 3D, como o CATIA, também ajudou na verificação de vários problemas antes da montagem e desenvolvimento físico, incluindo ensaios aerodinâmicos e estruturais, isso possibilitou que poucos erros fossem evidenciados durante o programa de testes.

Os novos motores disponíveis, Rolls-Royce Trent 800, General Electric GE90 e Pratt & Whitney PW4000, também deram uma dose adicional de economia em comparação até mesmo com bimotores da época, diminuindo o custo por passageiro transportado.

Pela primeira vez a Boeing utilizava um sistema de controle Fly-By-Wire, assim como a Airbus, diminuindo a complexidade da aeronave e facilitando a operação pelos pilotos, que contavam agora com comandos mais leves e com feedback, algo que a Airbus não tinha por causa do sidestick.

A fabricante comemorou isso através de uma publicação no Twitter:

Anos depois a Boeing lançou várias outras versões do 777, incluindo uma versão de ultra longo alcance com base no 777-200, a LR, e uma versão com fuselagem estendida e tanques adicionais, a 777-300ER.

Mais de 1540 aeronaves foram fabricadas até o momento, e no total a Boeing recebeu quase 2000 encomendas, contabilizando a versão 777X. Dessa forma o 777 ultrapassou o icônico 747 em número de aviões fabricados.

This post is available in: pt-brPortuguês