Foto: Senior Master Sgt. Vincent De Groot.

Um jato de ataque ao solo A-10C Thunderbolt II da 124º Ala de Caças (124th Fighter Wing) da Guarda Aérea Nacional de Idaho, nos EUA, recebeu uma pintura comemorativa, em homenagem aos 75 anos da unidade, além de celebrar a linhagem com sua unidade de origem, o 405º Esquadrão de Caça, da Segunda Guerra Mundial.

O esquema especial, desenvolvido pelos militares da própria 124th FW, foi revelado nesta semana nas Instalações de Pintura da Guarda de Idaho e é inspirado no mesmo padrão de pintura usado pelos caças P-47 Thunderbolt durante a Guerra. 

Após o conflito, muitos esquadrões ativos permaneceram em serviço, mas foram redesignados ao serem transferidos para unidades da Guarda Nacional, autorizados a receber equipamentos, pilotos, mecânicos de aeronaves e pessoal de apoio ao serem transferidos de volta aos Estados Unidos.

Foto: Senior Master Sgt. Vincent De Groot. 

A 124th FW é uma das dezenas de unidades da Guarda Aérea Nacional que podem traçar sua linhagem diretamente ao seu predecessor da Segunda Guerra Mundial, neste caso o 405º Esquadrão de Caça.

O esquema ostentado pelo A-10 é projetado para replicar a pintura como nos P-47 Thunderbolt originais do 405º, enquanto a unidade estava baseada no oeste da França em 1944.

A pintura chega aos detalhes com um nariz branco, cocares da Força Aérea dos EUA como eram durante a Segunda Guerra, na fuselagem e na asa, junto com listras de invasão do Dia D, todas pintadas sobre um revestimento de base verde-oliva. O “8N” pintado na lateral da aeronave indica o código do 405º Esquadrão. 

P-47D Thunderbolt “Black Jack” do 405th Fighter Squadron. Foto: Capt Tom Silkowski, 190th Fighter Squadron, Idaho ANG.
P-47D-20RE Thunderbolt “Mumblin Joe”, na França em 1944. Foto: Capt Tom Silkowski, 190th Fighter Squadron, Idaho ANG.

Não apenas a unidade, mas a aeronave também compartilha uma linhagem comum. Projetado e fabricado pela Republic Aviation, o P-47 Thunderbolt era um caça-bombardeiro monomotor, armado com oito metralhadoras AN/M2 calibre .50 BMG, podendo carregar, ainda, mais de uma tonelada de bombas ou foguetes, empregado extensivamente nas missões de ataque ao solo, inclusive pelo 1º Grupo de Aviação de Caça, o Esquadrão Jambock, da Força Aérea Brasileira. 

Após a guerra, o P-47 permaneceu em serviço na Guarda Aérea Nacional dos EUA até o início dos anos 1950, onde foi usado como uma forma econômica de treinar tripulações. 

Já o A-10 Thunderbolt II foi fabricado pela Fairchild Republic e projetado especificamente para apoio aéreo aproximado e destruição de blindados. Sua principal característica é canhão rotativo GAU-8/A Avenger, de 30mm. Seu design também lhe rendeu o apelido de Warhog, uma espécie de suíno selvagem africano. 

A aeronave também é reconhecida por sua resistência ao fogo inimigo, grande capacidade de carga, podendo transportar mais de 7,2 toneladas de armamentos diversos, e sua presença em missões de suporte às tropas em solo, comumente chamado de “Anjo da Guarda”. 

Confira abaixo mais algumas imagens do A-10C Thunderbolt II ostentando a pintura comemorativa. Fotos do Senior Master Sgt. Vincent De Groot. 

 

 

 

Via DVIDS