• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

Acidente com caça F-4 Phantom deixa um morto e um desaparecido na Grécia

Acidente com caça F-4E Phantom II deixou um aviador morto e outro desaparecido na Grécia. Foto: Jerry Gunner.
Acidente com caça F-4E Phantom II deixou um aviador morto e outro desaparecido na Grécia. Foto: Jerry Gunner.

Um aviador morreu e outro está desparecido após um acidente com um caça McDonnell Douglas F-4E Phantom II da Força Aérea Helênica (HAF), na manhã desta segunda-feira (30). Segundo informações da mídia local, os dois tripulantes não conseguiram ejetar. 

A aeronave pertencia ao 338º Esquadrão (Ares) da 117ª Ala de Caças, com sede na base aérea de Andravida, na Grécia Ocidental. A aeronave caiu no Mar Jônico por volta das 10h30 (horário local), a cerca de 25 milhas náuticas (46 km) da base, durante um voo de treinamento.

Até o momento não está claro como o acidente ocorreu. Conforme o portal Proto Thema, dois F-4 decolaram para um exercício de voo à baixa altura, voando abaixo de 300 pés (91 metros). Em dado momento, o número 2 da formação teria perdido contato com o líder. 

Em nota, a HAF confirmou a morte de um dos militares, o 1º Tenente Marios-Michael Turoutsika, 29 anos, que voava no assento traseiro como copiloto/operador de sistemas d’armas. Vários destroços já foram encontrados, mas as buscas pelo piloto, Capitão Sminagos Efstathios Tsitlakidis, 31 anos, ainda seguem.

A Força Aérea Grega emprega dois helicópteros AB-205 (UH-1 Huey), ao lado de um helicóptero SH-60 Seahawk da Marinha Helênica e diversas embarcações da Guarda Costeira local. Um C-130 Hércules da HAF também permanece de prontidão.

Conforme dados do levantamento World Air Forces 2023, a Grécia possui 33 caças F-4E Phantom II em operação, sendo um dos únicos países que ainda operam este antigo avião de combate da era do Vietnã, ao lado do Irã, Coreia do Sul e a vizinha (e rival) Turquia.

Grécia e um dos únicos quatro países que ainda operam o F-4 Phantom II. Foto: Alan Wilson.

Grécia e um dos únicos quatro países que ainda operam o F-4 Phantom II. Foto: Alan Wilson.

Os primeiros 36 F-4E foram adquiridos pela Grécia em 1974 junto aos Estados Unidos, dentro do programa Peace Icarus I. Três anos depois, como resposta aos turcos, outros 18 F-4 e oito RF-4 de reconhecimento foram adquiridos. Em agosto de 1997 a HAF assinou com a DASA (Daimler-Benz Aerospace, atual Airbus) o contrato de modernização de 36 de seus F-4E, no chamado Avionics Upgrade Program (AUP), projeto que ficou mais conhecido por Peace Icarus 2000. 

As aeronaves receberam radar digital AN/APG-68, compatibilidade com bombas inteligentes, casulo de identificação e orientação de armamentos, mísseis AIM-120 AMRAAM, comandos no manche e manete (HOTAS), telhas coloridas multifunção, display ao nível dos olhos (HUD) e demais aprimoramentos. Com a atualização, os F-4 ficaram, de certa forma, quase tão capazes quanto os novos F-16 Block 52+ que a HAF estava adquirindo. 

Com quase 50 anos de operação, os F-4 Phantom II da Grécia são operados exclusivamente pelo 338º Esquadrão de Caça-Bombardeiro, que divide seus aviões com o Esquadrão de Treinamento de Voo e Solo. As duas unidades são sediadas em Andravida. 

Além dos F-4, a Força Aérea Grega também possui caças Mirage 2000, Rafale, F-16 Fighting Falcon e está adquirindo os jatos de 5ª geração F-35 Lightning II.

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 


Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.