Sukhoi Superjet 100 Rússia MAKS 2021
Superjet da Aeroflot pronto em linha de montagem da Sukhoi.

A Aeroflot viu seus esforços para se manter bem estruturada e com dinheiro em caixa ir quase embora em razão das sanções que a empresa vem sofrendo por causa da guerra.

A situação piora a cada semana, a frota está necessitando de manutenção e também de peças. Recentemente foram aplicadas sanções que impedem empresas aéreas russas de receberem peças para manutenção de sua frota.

Agora a administração da Aeroflot está planejando arrecadar US$ 3 bilhões em ações em uma ação emergencial. A companhia aérea é controlada pelo governo russo. Em uma reunião com acionistas ontem (07), foi aprovada a emissão de 5,42 bilhões em moeda russa (rublo), cada ação será vendida a US$ 0,56.

A solução no momento para a frota será a compra de 300 novos aviões da fabricante estatal United Aircraft Corporation, que tem participação majoritária da russa Rostec. A imprensa local disse que a Aeroflot está analisando o MC-21 com capacidade para 200 passageiros.

A companhia aérea também planeja aumentar o número de aviões Sukhoi Superjet, que é fabricado na Rússia para reforçar as operações domesticas. Foi citado ainda o Tupolev Tu-214 para rotas médias mas esse tipo de aeronave será um pedido menor.

A situação da Aeroflot não é nada fácil, mesmo diante da retomada gradual da demanda de viagens, a empresa não pode realizar voos para diversos países, rotas onde a companhia tinha mais lucro.

Governo pode ajudar a Aeroflot

O governo da Rússia pode injetar US$ 3 bilhões através do Fundo Nacional de Riqueza do país. Inicialmente o governo se comprometeu a investir US$ 1,73 bilhão na companhia aérea, e também em outras empresas que estão sendo afetadas pelas sanções.

Tanto a Aeroflot quanto o governo não se manifestaram e nem detalharam sobre quantas ações o estado poderia comprar da companhia aérea. Ainda em março, a Aeroflot transportou 2,2 milhões de passageiros, número que foi caindo gradativamente em razão das sanções impostas.

Vladimir Putin, presidente da Rússia, informou que seus ministros irão rever algumas regras como forma de flexibilizar o aporte financeiro do governo para restaurar pelo menos a metade da economia da Rússia.

 

Com informações da Aljazeera.