A330 Aeroflot Rússia
Foto: Fedor Leukhin via Wikimedia Commons

Conforme publicamos no último sábado (4), um Airbus A330-300 da companhia russa Aeroflot ficou preso no Sri Lanka após o lessor reivindicar a posse da aeronave em resposta ao confisco russo de aeronaves pertencentes às empresas estrangeiras de leasing.

Pois bem, no caso do A330 da Aeroflot, houve uma ampla negociação entre o Regulador Federal de Aviação russa Rosaviatsia, que conseguiu viabilizar o retorno do jato para Moscou.

A disputa comercial pelo Airbus foi movida pelo lessor irlandês Celestial Aviation Trading, a negociação também envolveu o chefe interino do aeroporto do Sri Lanka e o serviço de navegação aérea, conforme relatado pelo Portal Flight Global

Após o tribunal comercial do Sri Lanka julgar o caso, foi decidido que a ordem não dava envolvimento ao aeroporto ou ao controle de tráfego aéreo, dando um parecer favorável para liberar a aeronave. 

Por fim, a Rosaviatsia disse que as negociações foram favoráveis pelo fato do governo russo ter “relações amigáveis” com o Sri Lanka de longo prazo. 

Por conta das sanções do conflito no território ucraniano por parte da Rússia, o A330-300 antes detinha a matrícula das Bermudas VQ-BMY, passando a ostentar o registro RA-73702 após o confisco por parte da Rússia. 

Com retorno do A330-300, a Aeroflot suspendeu as operações entre Moscou e Colombo, de modo a garantir que a companhia russa não enfrente mais nenhum problema judicial ao voar para o Sri Lanka.

Com informações: Flight Global