Sem voar desde meados de abril por conta da restrição de voos imposta pela Argentina, a Aerolineas deverá fazer dois voos especiais de resgate. Os voos terão como destino o Chipre, e serão operados por um Airbus A330-200 da empresa. O objetivo destes voos será o resgate das tropas das Forças Armadas da Argentina.

As tropas foram para o Chipre em missão de paz pela Força de Manutenção da Paz das Nações Unidas no Chipre (UNFICYP). Os voos levaram cerca de 250 membros das tropas que irão resgatar o grupo que serviu por 6 meses no Chipre.

O presidente da Aerolineas Argentinas se diz orgulhoso de mostrar seu apoio ao país e em missões importantes como esta.

“As remoções de tropas eram geralmente realizadas com companhias aéreas comerciais que transportavam militares, mas no contexto desta pandemia, tínhamos que encontrar uma solução. Agora temos a oportunidade de operar dois voos para transportar o novo contingente e trazer de volta para casa o pessoal argentino que ali concluiu sua missão”, disse o presidente da Aerolineas.

Essa é uma das missões de paz mais antigas feitas pela ONU, a Argentina se tornou uma apoiadora da missão. A missão de paz existe desde 1964 e tem como objetivo evitar o combate entre as comunidades além de ajuda a sociedade.

A previsão é que o voo será operado dia 17 de agosto e tem previsão de partida às 8h (hora local) do Aeroporto Internacional Ministro Pistarini (EZE), em Buenos Aires. O voo terá um tempo de percusso estimado em 15 horas e 45 minutos, tendo seu destino final o Aeroporto Internacional de Larnaca (LCA), no Chipre, chegando às 05h45 (hora local).

O segundo voo para o Chipre tem previsão de partida no dia 3 de setembro no mesmo horário. Os voos de volta tem previsão de durar 16 horas e 25 minutos, saindo as 8h (hora local) do Chipre e com previsão de chegada em Ezeiza às 18h25(hora local). O primeiro voo de volta está previso para o dia 22 de agosto e o segundo voo para o dia 8 de setembro.


DEIXE UMA RESPOSTA