T-27 M AFA FAB
Painel do T-27M. Foto: Sgt. Gaedke/AFA/Divulgação.

A Academia da Força Aérea (AFA) iniciou na segunda-feira (24) os primeiros voos de instrução de cadetes com o T-27 Tucano Modernizado, designado T-27M. O evento marcou o começo de uma nova era na formação de novos aviadores militares no país. 

Os cadetes-aviadores do 4º ano da AFA, a Turma Anúbis, são os primeiros a experimentar o Tucano após o processo de modernização. O primeiro voo com o T-27M, FAB 1446, foi realizado pelo Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Marcelo Gobett Cardoso junto do Cadete Aviador Yuri Nunes Bitar, que também é líder do Corpo de Cadetes da Aeronáutica e primeiro colocado da Turma Anúbis.

Os quatro primeiros T-27M, matrículas 1383, 1426, 1446 e 1439, foram levadas à AFA no dia 09 de dezembro. O Comandante da FAB, Tenente-Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Jr., pilotou um dos aviões. 

Continua depois do anúncio

A Força Aérea Brasileira quer modernizar 42 Tucanos até dezembro de 2022, a fim de nivelar a instrução dos cadetes com a tecnologia presente nas aeronaves atuais. O trabalho de atualização é realizado pelo PAMA-LS em conjunto com a empresa Albatross.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Academia da Força Aérea (@afamilitar)

Continua depois do anúncio

A modernização do T-27 inclui um novo sistema de comunicação, glass cockpit, voo baseado em performance, envio e recepção de informações para o controle de tráfego através do Sistema de Vigilância Aérea Automático Dependente por Radiodifusão (ADS-B) e uma nova pintura, que os próprios cadetes ajudaram a escolher. 

O Embraer T-27 Tucano entrou em serviço na FAB em 1983. A aeronave é empregada na instrução avançada dos cadetes do 4º ano, último ano de formação dos futuros oficiais da FAB na AFA. Esta tarefa é realizada pelo 1º Esquadrão de Instrução Aérea da Academia da Força Aérea, o Esquadrão Cometa. Antes de voar o Tucano, os cadetes voam o T-25 Universal. 

O T-27 também foi empregado pela Esquadrilha da Fumaça como aeronave de demonstração aérea. Outras unidades da FAB empregaram o Tucano em missões de ligação, observação, ataque, voos de teste e outros. 

Continua depois do anúncio