Air New Zealand considera adiar entrega do Boeing 787-10

Foto: Boeing

A Air New Zealand está considerando adiar a entrega de seus Boeing 787-10, como uma maneira de reduzir os custos em meio a crise.

Com os Boeings 787-10, a empresa pretende substituir a frota de 777-200ER, além disso, permite que a Air New Zealand voe para novas rotas. No entanto, a situação atual forçou a Air New Zealand a fazer uma série de alterações em seus planos.

A Air New Zealand recentemente tomou várias decisões para lidar com as consequências da pandemia de coronavírus, a companhia aérea demitiu toda a tripulação de operação do Boeing 777, e não vai operar com esse modelo de aeronave até abril de 2021.

Uma decisão cada vez mais frequente entre as companhias aéreas de que é improvável que as viagens internacionais atinjam seus níveis anteriores por pelo menos um ano após o término da pandemia.

A empresa encomendou oito 787-10 no ano passado, após uma intensa guerra de ofertas entre a Airbus e a Boeing. As entregas para a maior variante do Dreamliner deveriam começar em 2022, com todas as oito entregues até 2027.

A Air New Zealand deixou claro que todas as decisões da frota serão conduzidas completamente pela demanda por viagens internacionais. Isso significa que a companhia aérea pode optar por receber a entrega do avião se a demanda retornar, ou atrasar ainda mais o pedido, o que for mais adequado para os negócios.

A companhia aérea também está procurando acelerar os planos para eliminar gradualmente os aviões do modelo 777-200ER. As companhias aéreas de todo o mundo estão removendo seus aviões mais antigos com antecedência, em uma tentativa de reduzir custos.


 

DEIXE UMA RESPOSTA