Airbus A350

A Airbus revelou mais detalhes sobre a versão de carga do seu A350 neste domingo (14/11) no Dubai Airshow 2021. Apostando em uma grande encomenda da Qatar Airways, e possivelmente da Emirates que já encomendou a versão de passageiros do A350, a Airbus quer chamar atenção para seu novo produto no mercado árabe.

A Airbus revelou que planeja um cargueiro capaz de levar até 109 toneladas a bordo. Em comparação com o atual 777F, baseado no 777-200LR, esta capacidade divulgada pela fabricante permite levar 5 toneladas a mais.

Transportando todas as 109 toneladas possíveis, a aeronave ainda assim terá um excelente alcance de 8700 km. A fabricante também divulgou um alcance acima de 11000 km com 92 toneladas a bordo.

A porta de carga terá 3,7 m de largura e 3,14 m de altura e, excepcionalmente, será posicionada na parte traseira. As considerações sobre o centro de gravidade e a facilidade de carregamento influenciaram essa decisão.

De acordo com Crawford Hamilton, Chefe de Marketing da Airbus, isso possibilita que a parte central da aeronave receba um pallet único de 30 toneladas. Contudo, a porta traseira adiciona uma característica ao carregamento, que precisa ser realizado levando os pallets da porta traseira para a parte da frente da aeronave.

Com uma porta gigante, o A350F poderá receber até mesmo grandes motores de aeronaves, incluindo o General Electric GE-9X que equipa o Boeing 777X, que provavelmente terá uma versão cargueira. 

A Airbus ainda tirará cinco seções da fuselagem dianteira do A350-100 para encurtar o A350 em 3,17 metros. O cargueiro deverá utilizar os mesmos motores do A350-1000, os Rolls-Royce Trent XWB de 96000 lbs de empuxo (cada).

O A350F terá um peso máximo de decolagem de 317 toneladas, em comparação com 319 toneladas para o A350-1000. 

Hamilton disse que o A350F é uma alternativa direta para substituir o Boeing 747-400 nos próximos anos. Ele ainda destacou que a aeronave terá portas retiradas, e o local de descanso dos tripulantes continuará na parte dianteira, somente para pilotos, com opcional de assentos na parte frontal do cargueiro.

“Acreditamos que temos uma aeronave muito promissora”, disse o presidente-executivo Guillaume Faury, após revelar resultados semestrais melhores do que o esperado. O desenvolvimento do A350F pode custar cerca de US$ 2 a 3 bilhões. A atitude da Airbus é vista como uma resposta da fabricante ao domínio da Boeing no mercado de carga com os seus aviões widebody 767F, 777F e 747-8F.

 

Com informações de Aviation Week.

DEIXE UMA RESPOSTA