Airbus diz que novo A220-500 não é prioridade da empresa

Airbus A220

Pouco tempo após a Airbus comprar o projeto CSeries as companhias aéreas e imprensa começaram a falar sobre a possibilidade de uma nova versão, ainda maior. A Airbus, na época, confirmava o interesse, mas não dava nenhum passo adicional para desenvolver a aeronave.

Agora em 2020 o mercado de aviação passa pela maior crise que já enfrentou, algo que alterou todos os planos, das fabricantes e principalmente das aéreas. Agora a fabricante europeia cita pouco o projeto do A220-500, e este pode nem sair do papel antes da Airbus substituir o A320neo.

Em um webinar da Aviation Week, o Presidente e CEO da Airbus Americas, Jeff Knittel, declarou:

“Sob a Bombardier, houve muita discussão sobre o A220-500 e o potencial. Esse potencial existe hoje, mas não é uma prioridade. Estamos focados na preservação de nosso dinheiro.”

De acordo com Knittel, também há um bom desempenho da nova família de aviões, e não há necessidade de lançar neste momento o A220-500.

Algumas companhias, como a JetBlue e a Air France optaram por utilizar o A220-300 para substituir o A320neo, mesmo com a menor capacidade de assentos. A modernidade do novo avião, que iniciou a vida como CSeries, compensa algumas inconveniências do próprio, como menor alcance e capacidade de carga.

Portanto, não será nesse e nos próximos anos que a Airbus vai apostar no lançamento do A220-500 para conseguir mais encomendas. A fabricante ainda deve continuar com sua linha de aeronaves “congelada”, sem mais lançamentos.


 

Um A220 maior

No projeto da Bombardier também estava uma possível versão CS500, de maior capacidade que a CS300 (atual A220-300). Uma expansão de 3 a 4 metros na fuselagem do A220 seria suficiente para colocar o avião na capacidade máxima de 190 passageiros, sem comprometer tanto o peso da aeronave.

O presidente do programa CSeries declarou em 2016 que a atual asa da aeronave seria capaz de suportar uma versão de maior tamanho, e peso.

Mesmo crescendo de tamanho, a diferença de peso é grande o suficiente entre uma aeronave de nova geração, como a linha A220, e a antiga geração da Airbus mas com motores novos, o A319neo. Um A220-300 tem seu peso operacional (vazio) de aproximadamente 37 toneladas, enquanto o A319neo pesa 42,6 toneladas.

Uma versão de fuselagem expandida do A220 seria diretamente uma substituta do A320neo no mercado, provavelmente com uma eficiência muito maior no consumo de combustível. Apesar dessa iniciativa, a Airbus ainda está encorajada nos seus estudos recentes para criar um novo avião no mercado narrowbody, e continuar liderando nesta parte do mercado de aviões comerciais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA