As especulações sobre o desenvolvimento de um verdadeiro substituto do Boeing 757 já se arrastam há anos, mas só em 2017 a Boeing decifrou melhor o que espera da nova geração e ao mesmo tempo entrou em uma cobrança das próprias companhias, que agora demonstram interesse em um avião com 250 assentos substituto do 757 e 767.

O projeto NMA, da Boeing, ainda não foi lançado e por isso sabemos poucos detalhes finais do jato. A Boeing já declarou oficialmente que será um avião capaz de transportar de 220 a 270 passageiros, provavelmente novos motores da geração UltraFan vão equipar a aeronave, com finalidade de diminuir o consumo em 25% e a fuselagem será oval, focada no transporte de muitos passageiros e pouca carga.

Imagem do NMA divulgada pela Boeing em 2017.

Porém a Airbus já está estudando o que pode fazer para concorrer com a Boeing, mesmo com uma larga vantagem no mercado de 220 a 240 assentos, ocupado hoje pelo A321neo, com a opção Long Range (LR) de alcance estendido.

A ideia da Airbus é criar o A321XLR, uma versão baseada no A321neo LR com mais tanques extras para carregar combustível, o que aumentaria o alcance da aeronave e colocaria ela na mesma capacidade de rota do Boeing NMA, chamado também de 797.

Esse projeto pode ter base no antigo A320neo Plus, desenvolvido pela Airbus para melhorar as características do A320neo frente ao Boeing 737 MAX. O projeto teria apresentado maior capacidade de combustível, fuselagem mais longa e melhorias na asa do A321neo, em linha com esse dado confidencial apresentado hoje por uma fonte à Reuters.

A vantagem é que o A321neo ganharia uma opção ainda melhor, e ficaria com três variantes ao dispor dos clientes. Mas o tamanho da aeronave limitaria uma possível configuração de duas classes, além da quantidade de bagagem transportada no porão devido ao tanque extra.

Um possível A321XLR não teria uma fuselagem maior e nem melhorias na asa, seria somente um avião com os mesmos 240 assentos de capacidade máxima, e o desempenho aerodinâmico similar ao A321neo.

A Airbus evitou comentar sobre o assunto, ressaltando que não realiza comentários sobre projetos internos.

O A321LR tem alcance máximo de 7400 km, com capacidade de transportar até 240 passageiros em classe econômica, na configuração 3-3.

De acordo com informações sobre o NMA (797), ele teria alcance entre 8000 a 9500 km, e capacidade de transportar de 220 a 270 passageiros em duas classes na configuração 2-3-2.

 

Via – Reuters