A Airbus concluiu sua competição Quantum Computing Challenge (AQCC), anunciando a equipe vencedora da competição.

A equipe italiana da Machine Learning Reply, uma empresa líder em integração de sistemas e serviços digitais que faz parte do Reply Group, venceu o desafio com sua solução para otimizar o ‘carregamento’ de aeronaves.

As companhias aéreas tentam fazer o melhor uso da capacidade de carga útil de uma aeronave para maximizar a receita, otimizar o consumo de combustível e reduzir os custos operacionais gerais. No entanto, seu escopo para otimização pode ser limitado por uma série de restrições operacionais, como o tamanho da pista de operação, vento na rota, centro de gravidade do avião (CG) e até a temperatura do ar.

Ao criar um algoritmo para configurações ideais de carregamento de carga de aeronaves, levando em consideração essas restrições operacionais, os vencedores da competição provaram que problemas de otimização podem ser matematicamente modelados e resolvidos por meio de computação quântica.

“O Quantum Computing Challenge é a prova da crença da Airbus no poder do coletivo, para aproveitar e aplicar totalmente a tecnologia de computação quântica para resolver os complexos desafios de otimização que nossa indústria enfrenta hoje”, disse Grazia Vittadini, CTO da Airbus. “Olhando sobre como as tecnologias emergentes podem ser usadas para melhorar o desempenho da aeronave e impulsionar a inovação, estamos abordando os problemas de física de voo avançada que redefinirão como as aeronaves de amanhã serão construídas e voadas e, em última instância, moldarão a indústria, os mercados e as experiências do cliente para melhor.”

Os vencedores devem começar a trabalhar com especialistas da Airbus, já em janeiro de 2021, para testar e comparar sua solução a fim de avaliar como o domínio de cálculos complexos pode impactar de forma tangível as companhias aéreas, permitindo-lhes, conforme previsto, se beneficiar de capacidades de carregamento otimizadas ao máximo.

Com as operações tornando-se mais eficientes, o número total de voos de transporte necessários poderia ser reduzido, tendo um impacto positivo nas emissões de CO2, contribuindo assim para a ambição da Airbus por voos sustentáveis.

 

DEIXE UMA RESPOSTA