F-35 Itália
F-35A Italiano. Foto: Andy Wolfe/Lockheed Martin.

O Governo Alemão deve solicitar a compra de até 35 caças stealth F-35, em detrimento ao F/A-18 Super Hornet de Boeing, disseram fontes à imprensa alemã. Os aviões de 5ª geração da Lockheed Martin deverão substituir os veteranos Panavia Tornado. 

Segundo um documento obtido pela Reuters, o Ministério da Defesa já comunicou o parlamento alemão. “Em um primeiro passo, faremos um pedido formal ao governo dos EUA para a compra do F-35A para esclarecer os prazos de entrega e as opções de cooperação em treinamento e manutenção”, disse o documento.

Outras fontes afirmam que a Alemanha deve adquirir até 35 caças para a sua força aérea (Luftwaffe). 

F-35 Elephant Walk hill
Caças F-35A Lightning II durante uma manobra Elephant Walk na Base Aérea de Hill em 2020. Foto: USAF.
A possível compra do jato stealth norte-americano ocorre poucos dias depois que o chanceler Olaf Scholz disse que elevaria em 100 bilhões de euros os investimentos na modernização das Forças Armadas Alemãs, em face ao ataque da Rússia contra a Ucrânia. 
 
No passado, a Alemanha rejeitou o F-35 por conta dos problemas e orçamentos estourados. O caça stealth da Lockheed foi obtendo cada vez mais sucesso na Europa, enquanto a Alemanha se aproximava do F/A-18 Super Hornet e EA-18 Growler para substituir seus antigos Tornado IDS e ECR. 
 
Panavia Tornado Luftwaffe
Panavia Tornado da Força Aérea Alemã. Foto: RAF

O debate sobre as aquisições fez com que o então comandante da Luftwaffe, Karl Müllner, fosse demitido em 2018. Müllner era abertamente favorável ao F-35, contrariando a posição do governo na época.

F/A-18 F Super Hornet EA-18G Growler REVO
Um F/A-18F Super Hornet reabastecendo um EA-18G Growler. Foto: US Navy.

Em 2019, a Alemanha descartou o F-35 em favor da aquisição de 30 caças F/A-18E/F Super Hornet e 15 jatos de guerra eletrônica EA-18G Growler. Em novembro de 2021, o vice-presidente da Boeing Defense, Space & Security Germany, afirmou que a fabricante esperava uma solicitação de compra da Alemanha para janeiro, o que não ocorreu. 

No mesmo mês, o novo governo alemão renovou o compromisso do país de fazer parte das capacidades de dissuasão nuclear da OTAN, algo que estava em debate em meio às eleições do ano passado.

Contudo, nesse ínterim, o F/A-18F Super Hornet havia sido removido pela National Nuclear Security Administration da lista de aeronaves a serem certificadas para transportar a bomba nuclear B61. Os EUA tem cerca de 20 dessas bombas estocadas na Alemanha, que seriam usadas pelo país em seus jatos Tornado em caso de ataque. 

F-35 B61
F-35A lançando uma bomba B61-12 de ensaios durante os testes iniciais. Foto USAF.

Com o Super Hornet não devendo receber integração com a B61, a Alemanha fica sem opções. Enquanto isso, o F-35 já concluiu todos os voos de testes para usar a bomba nuclear tática.