F/A-18 F Super Hornet EA-18G Growler REVO
Um F/A-18F Super Hornet reabastecendo um EA-18G Growler. Foto: US Navy.

A Alemanha deve enviar em janeiro uma carta de requisição (LOR) aos Estados Unidos, solicitando a compra de caças F/A-18 Super Hornet e jatos de ataque eletrônico EA-18G Growler, afirmou o vice-presidente da Boeing Defense, Space & Security Germany, Michael Hostetter. 

Durante a Conferência de Segurança de Berlim 2021, Hostetter disse à Janes que a LOR que impulsionaria a venda provavelmente será emitida em janeiro, logo após o posse do novo governo alemão, em dezembro.

Super Hornet JDAM
F/A-18F Super Hornet com bombas GBU-32 JDAM.

“Eu diria que tudo continua avançando”, disse Hostetter. “A decisão da seleção foi tomada pela AKK [Ministra da Defesa Annegret Kramp-Karrenbauer] em 2019 e, obviamente, há um novo governo sendo formado agora. Entre o governo dos Estados Unidos, a Bundeswehr e a Boeing, estamos todos trabalhando juntos para impulsionar o desenvolvimento de uma carta de acordo e espero que isso aconteça em curto prazo, depois que o governo se assentar.”

Em 2019, a Ministra Kramp-Karrenbauer aprovou a compra de 30 caças Super Hornet e 15 jatos de guerra eletrônica EA-18G. A Luftwaffe quer adquirir as aeronaves para substituir parcialmente seus antigos Panavia Tornado, cuja frota é composta por 90 aeronaves. O restante será substituído por mais caças Eurofighter Typhoon. 

Panavia Tornado ECR Luftwaffe
Panavia Tornado ECR (versão de guerra eletrônica) da Luftwaffe. Foto: bomberpilot via Wikimedia (CC BY-SA 2.0).

Enquanto os Super Hornets devem substituir os Tornados IDS, de ataque ao solo, os Growlers entram no lugar dos Tornados ECR. Esta variante é dedicada às missões de guerra eletrônica, principalmente a Supressão de Defesas Aéreas Inimigas (SEAD). 

O SEAD também é uma das principais missões desempenhadas pelo EA-18G. Para isso, o jato baseado no F/A-18F emprega os mísseis AGM-88 HARM (já usados pelo Tornado) em combinação com o radar AN/APG-79, os pods de interferência AN/ALQ-99 e os receptores AN/ALQ-218. 

A possível LOR em janeiro também é um bom sinal para a Boeing, especialmente depois de ser informada que não cumpre os requisitos do projeto canadense de aquisição de caças. 

Super Hornet na dissuasão Nuclear 

As autoridades alemãs pretendem começar a comprar aviões de reposição a partir de 2025 para garantir que, quando o último Tornado deixar o serviço em 2030, não haverá perda de capacidade. 

Outra importante missão que os F/A-18 farão é a dissuasão nuclear, ou seja, terão capacidade de empregar bombas nucleares B61. Atualmente essa é uma das principais responsabilidades da Alemanha como membro da OTAN. 

A Alemanha chegou a considerar a aquisição do F-35 por conta desta capacidade, mas acabou escolhendo o Eurofighter Typhoon, que já opera há anos. Contudo, foi levantada a questão se o delta-canard pode usar armamento nuclear. As bombas de posse dos EUA estão estocadas na base aérea de Büchel. 

F-35A lançando uma bomba B61-12

Visto que o lançamento de armas nucleares era uma das missões centrais do Tornado (como parte do Programa de Compartilhamento Nuclear da OTAN), a rápida substituição dessa capacidade é crítica para a credibilidade alemã de dissuasor nuclear. Segundo o Eurasian Times, Berlim acredita que os Super Hornets podem fazer esse trabalho perfeitamente.

DEIXE UMA RESPOSTA