ANAC esclarece norma que pode determinar fim dos cursos de comissário de voo

Photo by Hernani Pereira Economy cabin

Informações inverídicas sobre a consulta pública do Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC) nº 63, que trata de regras para mecânicos de voo e comissários(as) de voo, vêm sendo divulgadas nas redes sociais nos últimos dias.

Para evitar desinformação, a ANAC esclarece que, no projeto em questão, não se propõe qualquer alteração nos contratos de trabalho das categorias, que continuam sendo regidos pela Lei do Aeronauta.

Entre as alterações propostas, está a retirada da obrigatoriedade de curso teórico sob o RBAC nº 141 para a formação de comissários de voo, a exemplo do que já acontece para a formação de pilotos privados.

De acordo com a ANAC, os futuros comissários poderão, assim, escolher entre fazer um curso teórico em uma escola de aviação civil ou estudar por conta própria antes de realizarem os treinamentos iniciais em uma empresa aérea – que continuam tendo que ser realizados sob um programa de treinamento aprovado pela ANAC.

A ANAC ainda diz que a medida tende a diminuir a barreira atualmente existente à entrada de futuros comissários, que, por vezes, encontram dificuldades financeiras ou incompatibilidade de tempo disponível para se matricularem e frequentarem os cursos regulares oferecidos pelo mercado.

A Agência reforça o compromisso com a transparência no processo normativo e de trazer as melhores práticas do setor aos seus regulamentos.

Consulta pública


Para contribuir com a alteração do RBAC nº 63, a ANAC reforçou o convite a todos os interessados a conhecerem a minuta de proposta e enviarem suas manifestações até o dia até o dia 18 de junho de 2020.

Acesse a consulta pública nº 8/2020, proposta de edição do Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC nº 63), intitulado “Licenças e habilitações para mecânicos de voo e comissários de voo”, no endereço eletrônico: https://www.anac.gov.br/participacao-social/consultas-publicas/consultas-publicas-em-andamento/consulta-publica

 

Via – ANAC

DEIXE UMA RESPOSTA