Boeing 747 Irã Argentina Venezuela Venezuela

Um Boeing 747-300M da Emtrasur Cargo, uma empresa venezuelana, e de matrícula YV3531, ficou confiscado em Buenos Aires no último dia 06 de junho.

De acordo com informações de autoridades argentinas, a aeronave estava transportando peças de carros de Querétaro, no México, para Buenos Aires (Ezeiza).

O avião deveria pousar em Buenos Aires, contudo, devido a um forte nevoeiro alternou para Córdoba. O avião seguiu para a capital argentina logo depois, no mesmo dia 06 de junho.

O avião desembarcou as peças em Buenos Aires, contudo, desde então está parado na capital argentina, e sua tripulação ainda está na cidade. Pelas características de uma operação cargueira, esse poderia ser um procedimento normal, mas vários funcionários do governo local acompanharam a movimentação em Buenos Aires.

Desde então o avião está enfrentando uma provável desassistência de solo. O motivo é a origem do avião, que pode interligar um laço entre Venezuela e Irã, visto que sua antiga operadora era a Mahan Air. A Emtrasur Cargo é uma divisão de carga da companhia aérea estatal venezuelana Conviasa, e este é o único avião da empresa.

Como os dois países são parceiros, e também sofrem sanções de países ocidentais, a Conviasa acertou a incorporação de dois aviões A340-600 que operam atualmente pela iraniana Mahan Air.

De acordo com as autoridades locais, a tripulação era composta por venezuelanos e iranianos. Por dúvidas sobre a propriedade da aeronave, e de sua operação, provavelmente os argentinos optaram por não fornecer combustível ou manutenção ao 747, devido às sanções aplicadas ao Irã e que podem “respingar” na Argentina.

Além desses problemas, o Governo da Argentina ainda investiga o voo entre Córdoba e Buenos Aires, que foi realizado sem o transponder ligado. Fora isso, o parlamentar da oposição, Gerardo Milman, pediu uma investigação sobre essa situação.

 

Via: Aviationline