O Astronauta Marcos Pontes aceitou ser o Ministro da Ciência e Tecnologia do Governo do então eleito presidente Jair Bolsonaro, o primeiro astronauta brasileiro confirmou que aceitou o cargo nessa última terça-feira.

O nome de Marcos Pontes já havia sido cogitado pelo próprio futuro presidente, Jair Bolsonaro, durante a campanha de governo, mas apenas ficava em uma conversa entre os dois. Só após a eleição de Jair Bolsonaro, Marcos Pontes aceitou o convite para o cargo.

Em uma entrevista o futuro Ministro da Ciência e Tecnologia disse que já havia aceitado o convite de Bolsonaro a algum tempo. E que após o período de quatro anos pretende ir para o Senado para continuar seu trabalho.

 

Um pouco da carreira de Marcos Pontes

Marcos Pontes cursou a AFA em Pirassununga durante 4 anos de curso como cadete aviador, foi graduado como Aspirante Aviador e transferido para o 2º/5º Grupo de Aviação (Esquadrão Joker) na Base Aérea de Natal, onde, em um ano, completei a minha formação de Piloto de Caça (Ala da Aviação de Caça).

Após a formação como piloto de caça em Natal pelo Esquadrão Joker, Marcos Pontes foi transferido para o 3º/10º Grupo de Aviação (Esquadrão Centauro), em Santa Maria, RS, onde voou o A-1 AMX.

Após algum tempo voando como caçador da FAB, Marcos Pontes se retirou dessa atividade e foi para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). O objetivo final do astronauta era ser Pilotos de Testes da FAB, além de engenheiro.

Marcos Pontes teve a oportunidade de voar em caças ícones do cenário da aviação de caça mundial como, por exemplo, os americanos F-15 Eagle, F-16 Falcon, F-18 Hornet e o russo MIG-29 Fulcrum.

Em 1998 começa a então saga do brasileiro nascido em Bauru-SP para o espaço, por meio de um concurso público que a AEB (Agência Espacial Brasileira) fez, Marcos Pontes que tinha os requisitos necessários pediu autorização à FAB e se inscreveu no curso e conseguiu a aprovação.

Após isso Marcos Pontes viajou aos EUA, mas especificamente para Houston, dar início ao curso em si de astronauta pela NASA e em 2000 recebeu a certificação de Astronauta.

Então em 2006 no dia 29 de Março, no Cazaquistão, a bordo da Soyuz TMA-8 sobre um foguete Soyuz com 200 o brasileiro entrou para a história como o primeiro astronauta do Brasil e do hemisfério sul ao decolar russo a ISS em uma missão que durou 10 dias.

Após a missão espacial Marcos Pontes voltou a trabalhar na NASA e no Brasil onde faz palestras e sempre está empenhado no requisito educação e desenvolvimento da Ciência e Tecnologia. O brasileiro pode ter uma segunda chance de voltar ao espaço, mas com a nova promoção de Ministro de Ciência e Tecnologia essa chance terá que ser adiada.